Passar por discriminação causa picos em níveis de hormônios do estresse – TecMundo

Eduardo Harada
via nexperts
Além de ser considerado um crime de acordo com o artigo 20 da Lei nº 7.716, a discriminação também está associada a muitos outros efeitos negativos sobre a saúde das pessoas. Depressão e ansiedade são apenas algumas das consequências no médio e longo prazo — agora, pesquisadores conseguiram identificar um efeito imediato de atos discriminatórios sobre o organismo.
Em um estudo inédito conduzido sobre o tema, foi possível identificar que ataques racistas podem aumentar de forma significativa os biomarcadores de estresse em uma pessoa. Mas o que surpreendeu os pesquisadores foi o fato de que essa elevação acontece de forma quase instantânea, pouquíssimo tempo depois do incidente discriminatório.
Para chegar a essas conclusões, um estudo foi realizado por pesquisadores e psicólogos da Universidade Fordham em parceria com a escola de enfermagem da Universidade Yale (ambas nos Estados Unidos). Eles recrutaram um total de 12 pessoas negras com idades entre 30 e 55 anos que viviam no nordeste dos EUA e são oriundas de comunidades e igrejas também negras.
Atitudes preconceituosas e discriminatórias podem ter um efeito quase imediato sobre o organismo da vítimaAtitudes preconceituosas e discriminatórias podem ter um efeito quase imediato sobre o organismo da vítimaFonte:  Shutterstock 
Depois de medir os níveis de estresse dos participantes para posterior comparação, eles foram convidados a responder uma pesquisa que foi alterada para simular uma situação discriminatória. Os participantes também precisaram falar sobre como se sentiram após a pesquisa e coletar material da saliva nas semanas seguintes para análise.
Na manhã seguinte após o estudo, o nível de cortisol quase dobrou na saliva dos participantes que relataram ter experimentado uma situação clara de discriminação racial. Além disso, os indivíduos que declararam ter experimentado uma variação de humor após a pesquisa também tiveram um aumento na alfa-amilase durante o mesmo dia.
Esses dois biomarcadores estão diretamente associados ao aumento no nível de estresse no ser humano, além de também terem relação com outras doenças. De acordo Soohyun Nam, cientista que participou do estudo, “a discriminação racial tem um efeito prejudicial na saúde física e mental” e “não há dúvidas de que mesmo uma experiência sútil de discriminação pode ter efeitos danosos no organismo.”
O artigo com os resultados foi publicado na revista científica PLOS ONE em 14 de setembro.
PUBLICIDADE
© COPYRIGHT 2022 – NO ZEBRA NETWORK S.A.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.