Dono dos Phoenix Suns suspenso por um ano da NBA por racismo e sexismo – Renascença

14 set, 2022 – 10:20 • Lusa
A Liga norte-americana de basquetebol (NBA) puniu com um ano de suspensão e uma multa de 10 milhões de dólares (aproximadamente 10 milhões de euros) o proprietário dos Phoenix Suns, Robert Sarver, por comportamentos racistas e misóginos.
A sanção foi anunciada na terça-feira, tendo Sarver ficado impedido de liderar o clube, assim como de frequentar instalações de equipas da NBA e da Liga feminina (WNBA).
Um relatório independente pedido pela NBA provou que Sarver “violou claramente” as regras de boa conduta do mundo profissional, mas também da competição.
O proprietário dos Suns, e dos Phoenix Mercury, da WNBA, foi acusado de ter tratado os funcionários de forma injusta, com “expressões que não tinham em conta as suas sensibilidades raciais”, uma linguagem de conotação sexual e de atitude de assédio.
Segundo a investigação, Sarver pronunciou a “palavra n… [negro, que em inglês tem conotação racista]” cinco vezes e disse a uma das suas funcionárias grávidas que não faria o seu trabalho corretamente se fosse mãe.
“Lamento ter causado danos e mal-estar, mas estes erros de julgamento não correspondem à minha filosofia e aos meus valores”, reagiu o empresário, assumindo a discordância com a decisão da NBA.
O valor da multa aplicada a Sarver vai ser doado a organizações que lutam contra a discriminação de raça e de género.
Em 2014, Donald Sterling, o antigo proprietário dos Los Angeles Clippers, foi banido da NBA por fazer comentários racistas numa conversa privada.
Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

source

Segurança é vítima de racismo no Shopping Metropolitano, Zona Oeste do Rio – Extra

Um segurança do Shopping Metropolitano, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, foi vítima de racismo na última segunda-feira (11). O homem teria sido acionado porque havia uma consumidora com comportamento alterado em uma loja de bijuterias. Quando chegou ao local, a cliente teria se exaltado ainda mais com a intervenção do segurança, começado a gritar e dirigir ofensas racistas contra ele.

Clientes que estavam no local filmaram o momento em que a mulher, demonstrando estar bastante alterada, se aproxima e xinga o funcionário que estava próximo, depois entra em uma loja os gritos e vaias dos frequentadores do shopping. Em um vídeo compartilhado nas redes sociais é possível escutar algumas das ofensas ao segurança.
— Se fosse a sua família que tivesse tentando trocar, seu filho da p., seu vagabundo. Quero ver se estivessem tentando matar sua família, se você ia ficar se metendo. Seu preto f. — gritou a mulher. Na mesma hora, as pessoas no shopping reagiram xingando a mulher, que continuava visivelmente alterada.
O caso foi registrado na 32ª DP (Taquara) como crime de injúria por preconceito. A Polícia Civil informou que a vítima foi ouvida na delegacia e diligências estão sendo realizadas em busca de imagens de câmeras de segurança para identificar a mulher.
Procurada pelo EXTRA, o Shopping Metropolitano Barra disse por meio de nota que "lamenta e se solidariza com o colaborador da segurança, que sofreu racismo, no último domingo(11), e com funcionários da loja, agredidos verbalmente pela consumidora. O empreendimento esclarece que está prestando todo apoio às vítimas e que está à disposição das autoridades policiais para quaisquer esclarecimentos."

source

Esta eleição também vai ser decidida nas redes sociais? – Combate Racismo Ambiental

Bolsonaro chegou ao poder com ajuda das redes sociais. Quatro anos depois, as plataformas de comunicação ainda têm dificuldade em combater as notícias falsas. Há quem creia que falte vontade às empresas de mídia social
por Alexander Busch, em DW
Há quatro anos, Jair Bolsonaro venceu principalmente porque desde o início investiu tudo nas redes digitais. Sua família recrutou os inúmeros novos grupos de direita que surgiam em todo o país nas redes sociais como seus “soldados digitais”. O Whatsapp, em particular, foi central nessa estratégia.
Por essa via, os Bolsonaros forneciam muitas informações para seus ativistas, mas também inúmeras mensagens curtas difamatórias ou manipuladas, ou seja: fake news. Assim ficou conhecida, por exemplo, a mamadeira em forma de pênis que os esquerdistas supostamente queriam distribuir nos jardins de infância se ganhassem as eleições.
Como se soube mais tarde, empresários bolsonaristas patrocinaram campanhas ilegais para inundar grupos de usuários do Whatsapp com notícias falsas sobre o oponente político.
No entanto é um equívoco atribuir a vitória eleitoral de Bolsonaro exclusivamente ao uso ilegal de robôs, escreve a jornalista Consuelo Dieguez em seu livro recém-publicado O ovo da serpente. Desde o início, os Bolsonaros podiam contar com centenas de milhares de ativistas digitais que espalhavam voluntariamente as “notícias” do quartel-general de campanha.
E agora é a mesma coisa: inúmeras plataformas de informação na internet se disfarçam de mídia jornalística, as mais conhecidas chegam a ter dezenas de milhões de cliques mensais. Elas são apenas a ponta do iceberg, como suspeita o centro de pesquisas NetLab da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas reproduzem tudo o que ajude a campanha de Bolsonaro, desde fake news até estatísticas maquiadas.
Chama a atenção como há três meses essas meias verdades também são espalhadas em plataformas sociais mais conservadoras, como o Linkedin – e sem a menor reação de seus responsáveis.
O mesmo se aplica ao uso de robôs para alimentar as redes digitais de forma direcionada, dependendo do sexo, idade, preferência política. Denise Dora, da organização não governamental Artigo 19, diz que, apesar da Comissão Parlamentar de Inquérito das Fake News, ainda não há ferramentas para evitar que a desinformação circule em grande escala.
É verdade que desta vez as plataformas sociais e os canais de comunicação estão trabalhando mais sintonizados com a Justiça eleitoral do que em 2018. Quando o Supremo Tribunal Eleitoral exige que fake news sejam removidas, isso costuma acontecer rapidamente. Mas as próprias plataformas não são muito ativas no combate às notícias falsas.
Quando questionadas por Patricia Campos Mello, especialista digital da Folha de S. Paulo, quantos funcionários de língua portuguesa as plataformas tinham em suas equipes de monitoramento, as empresas deram apenas respostas evasivas.
A denunciante do Facebook Frances Haugen explicou há pouco nos EUA que as plataformas sociais se concentram principalmente nos conteúdos em inglês. Elas só se preocupam em mediá-los em países onde correm o risco de ser regulamentadas, como, por exemplo, nos Estados Unidos. Isso não acontece no Brasil.
Assim, parece que as mídias sociais são um campo basicamente livre, onde os estrategistas das campanhas eleitorais podem agir sem restrições.

Mídias sociais continuam um campo livre para marqueteiros de campanha (Foto: Douglas Magno/AFP)




7 + dezessete =

Se quiser receber nosso boletim diário, é só inscrever-se na aba “Quem somos”, clicando AQUI

source

Braz promete craque, racismo contra Vini Jr e as últimas notícias do Flamengo – Flamengo – Mundo Rubro Negro

Criticado pelos torcedores durante maior parte da sua passagem pelo Flamengo, Rodinei tem sido reverenciado a cada jogo no segundo semestre desse ano. Gritos de “Rodinei é seleção” tem ecoado nos estádios onde o Rubro-Negro joga. Portanto, em entrevista após o jogo, o lateral afirmou que esse está vivendo seu melhor momento: Clique aqui para saber mais.
No próximo domingo, o Flamengo disputa o clássico contra o Fluminense, pela 27ª rodada do Brasileirão. Os dois rivais estão empatados em números de pontos, com o Rubro-Negro uma posição acima na tabela, pelo saldo de gols. Perguntado se poderá repetir o time da Copa do Brasil no final de semana, Dorival deixou no ar: Clique aqui para saber mais.
O meia flamenguista se tornou o primeiro jogador da história a participar diretamente de gols nas quatro semifinais no mesmo ano. Assim, dentre as ações de Everton Ribeiro nos gols rubro-negros, o camisa sete do Flamengo deu três assistências e marcou um gol, além de ser importante na composição do meio campo do Mais Querido. Clique aqui para saber mais.
Com 37 anos, Filipe Luís consegue manter o alto nível do seu futebol. Mas ele admite que nessa fase da carreira, os mais jovens começam a pedir passagem. Em entrevista após a partida, o experiente jogador do Flamengo elogiou Ayrton Lucas e lembrou de disputa com Lucas Hernández no Atletico de Madrid. Confira: Clique aqui para saber mais.
O Flamengo já somou R$ 16,8 milhões até aqui, sem contar com os valores da final, pois ingressou na terceira fase da competição, jogando contra o Altos-PI. O clube tem garantido em sua conta bancária pelo menos o valor de R$ 41,8 milhões, caso seja vice-campeão do torneio. Em caso de vitória na final, o Flamengo embolsa mais R$ 60 milhões, o que totaliza R$ 76,8 milhões para ajudar na próxima temporada. Clique aqui para saber mais.
Com a chegada de Dorival, o time passou por mudanças na sua estrutura. O treinador alterou o posicionamento e a função de alguns jogadores, e um dos mais impactados com as mudanças foi Gabriel Barbosa. Acostumado a ser a referência do ataque do time, o camisa 9 agora joga mais fora da área, com Pedro jogando centralizado. Clique aqui para saber mais.
A Conmebol vai comercializar as áreas centrais. Inicialmente, Flamengo e Athletico-PR terão direito a 11 mil ingressos para comercializarem para seus torcedores. De acordo com o jornalista Rodrigo Mattos, do UOL, as duas arquibancadas atrás dos gols têm capacidade para 12,5 mil torcedores, mas a Conmebol vai segurar parte da carga para liberação futura. Clique aqui para saber mais.
Na festa após o jogo, um torcedor do flamengo invadiu o campo e foi comemorar junto com os jogadores. Um vídeo do Rubro-Negro pulando junto com os atletas e tendo sua camisa retirada viralizou na internet. Porém, depois da festa vieram as consequências. Clique aqui para saber mais.
Em live no Canal do Benja, o vice-presidente de futebol do Mengo, Marcos Braz, lembrou que o Mundial desta temporada será disputado no início de 2023, semelhante a edição passada. Ou seja, a janela de transferências estará aberta para fortalecer o elenco. Clique aqui para saber mais.
“O início foi bem difícil por causa da rejeição por vir do Flamengo e por ser um primeiro trabalho. Encarei de peito aberto e não me arrependo de nada do que fiz. Vi um time que tinha começado a ter uma identidade do que o Vasco queria, mas passava por algumas situações de mudança de mentalidade dentro da equipe. Mas isso estava muito relacionado ao momento do clube, que passa por muita pressão pelo acesso. Não tem como ser diferente porque o lugar do Vasco é na primeira divisão”, disse. Clique aqui para saber mais.
O zagueiro David Luiz teve grande atuação na partida contra o São Paulo. Nas redes sociais e nos programas com analistas na internet e na TV, a atuação do defensor rubro-negro recebeu elogios, pois jogou muito bem. Clique aqui para saber mais.
Flamengo está na final da Copa Conmebol Libertadores. No próximo dia 29 de outubro, o Rubro-Negro enfrentará o Athletico-PR em Guayquil, no Equador, em busca de seu terceiro título continental. No entanto, parte da torcida já começa vislumbrar a grande possibilidade de enfrentar o Real Madrid, em uma eventual final de Mundial de Clubes. Clique aqui para saber mais. Clique aqui para saber mais.
Por disputar as duas finais, o clube garante pelo menos os prêmios para o segundo colocado. Na Copa do Brasil, a premiação para o vice-campeão é de R$ 23 mi. Enquanto na Libertadores, o vice recebe R$ 30,7 mi. Supondo que o clube perdesse as duas finais, ainda assim o valor total em premiações contando com todas as fases e a participação na final é de R$ 104,2 mi. Esse é o valor mínimo que o Mengão garante com as classificações nas copas. Clique aqui para saber mais.
Na noite dessa quarta-feira (14), Andre Santos foi para baixo do edredom com a modelo Suzi Sassaki, mas causou constrangimento aos outros participantes de A Fazenda. O ex-jogador do Flamengo e a ex-assistente de palco da rede TV tiveram uma noite quente. Assista.
Sem gols ou assistências, Lucas Paquetá participou de duas vitórias, um empate e uma derrota. Na partida desta quinta-feira (15), pela Conference League, o atleta fez parte da vitória no jogo válido pela fase de grupos da Conference League. O clube começa bem no torneio e soma seis pontos em dois jogos, liderando o grupo B. Clique aqui para saber mais.
A jogada se iniciou com João Gomes. A princípio, o volante sofria a marcação de Alisson. Mas com mobilidade e força manteve a posse de bola. O volante saiu da pressão e encontrou David Luiz livre pela direita. Clique aqui para saber mais.
“Ah, porque o Flamengo tem melhores jogadores, Everton Ribeiro, Arrascaeta, Gabigol, Pedro. Beleza. O São Paulo tem Nestor, Pablo Maia. Beleza. Mas o Flamengo tem estrutura, Cebolinha no banco, Vidal no banco. São Paulo vai substituir entra o Thalles. Concordo com você. Flamengo tem mais qualidade, concordo. Mais estrutura, pagou as dívidas, mais encaixado, concordo com você”, começa Barolo. Clique aqui para saber mais.
Após a goleada contra o Mallorca no domingo passado (11), toda a Espanha passou a discutir a postura de Vinícius Júnior em campo. Para muitos, portanto, os dribles e a forma como ele tem se comportado vem sendo desrespeitosa. Na partida, inclusive, o ex-jogador do Flamengo discutiu com o treinador adversário após o mesmo pedir para que seus jogadores batessem no camisa 20. Clique aqui para saber mais.
Jogando em Itaquera, o Corinthians saiu na frente aos 34 minutos do primeiro tempo. Renato Augusto fez um golaço chutando de fora da área. O meia já havia arriscado antes e Fábio fez bela defesa, mas não conseguiu repetir a dose e sofreu o primeiro gol da partida. Clique aqui para saber mais.
Após o jogo, o meio-campista Giuliano falou com a imprensa sobre o confronto com o Flamengo na final da Copa do Brasil. O jogador elogiou o Rubro-Negro: “É um time forte, acostumado a jogar junto há muito tempo. É uma grande equipe, com grandes individualidades. Por isso, está na final da Libertadores também.” Clique aqui para saber mais.
Flamengo e Corinthians se enfrentaram pela Copa do Brasil nas quartas de finais de 1989, semifinais de 2018 e oitavas de finais de 2019. O saldo segue positivo para o Mais Querido, que avançou em duas oportunidades e ficou pelo caminho em uma. Nos seis jogos, já que são partidas de ida e volta, são três vitórias do Flamengo, duas vitórias corintianas e um empate. Clique aqui ´para saber mais.
Em ordem, o primeiro eliminado pelo Flamengo foi o Corinthians. Os jogos pelas quartas de final da Libertadores aconteceram nos dias 02 e 09 de agosto e o Mais Querido venceu por 2 a 0 (Arrascaeta e Gabigol) e 1 a 0 (Pedro) respectivamente. Desse modo, o Rubro-Negro chegou à final da competição e enfrentará o Furacão, que passou pelo Palmeiras. Clique aqui para saber mais.
Curiosamente, um fenômeno estranho começou a acontecer assim que a final da Copa do Brasil foi definida. Nas redes sociais, torcedores dos rivais paulistas do Corinthians jogaram a rivalidade de mais de um século para o alto e se uniram em pró de um objetivo comum. Torcer contra o Flamengo. Clique aqui para saber mais.
Vitor Pereira começou falando que o primeiro jogo da final, em 12 de outubro, ainda está muito longe. Por isso, ele não quis projetar como será a partida: ” Ainda tem muito tempo até o Flamengo. Só o que eu peço é que eu tenha tempo para preparar o Corinthians para essas finais.” Clique aqui para saber mais.
“Se quer dançar, vá ao sambódromo no Brasil. Aqui você tem que respeitar os companheiros de profissão e deixar de fazer o macaquices”, afirmou. Clique aqui para saber mais.
Siga Erick Viana no Twitter e no Instagram.
Seja apoiador e ajude-nos a melhorar: CLIQUE AQUI e faça parte da comunidade.

MELHORES SITES DE APOSTAS
JOGOS DE FUTEBOL HOJE NA TV
Type above and press Enter to search. Press Esc to cancel.

source

Lutador brasileiro imobiliza homem após ser atacado por falar português nos Estados Unidos – Fatos Desconhecidos

Lutador brasileiro imobiliza homem após ser atacado por falar português nos Estados Unidos  Fatos Desconhecidos
source

Cruzeiro hoje: ingressos caros, Lincoln relata racismo e mais – Torcedores.com

Torcedores – Notícias Esportivas
Cada mais perto do acesso matemático para o Brasileirão Série A, a Raposa se prepara para o jogo com o CRB em Maceió
Por Marco Maciel Marco Maciel
Categoria:
Compartilhe
Crédito: Gustavo Aleixo/Cruzeiro
O Cruzeiro viajará a Maceió para enfrentar o CRB no estádio Rei Pelé no próximo sábado (17), às 20h30 (horário de Brasília), fechando a 30ª rodada do Brasileirão Série B. Leia o resumo com as principais notícias do Cabuloso nesta quarta (14).
Na partida que pode representar o acesso matemático do Cruzeiro para a elite do futebol brasileiro, o torcedor aguarda com expectativa o confronto com o Vasco na quarta que vem (21), no Mineirão, pela 31ª rodada do brasileirão Série B. Contudo, os cruzeirenses estão inconformados com os valores das entradas para a partida.
Afinal, os preços para não-sócios variam entre 50 e 250 reais, num reajuste considerável em comparação com os jogos anteriores da Raposa em casa. As vendas para os sócios-torcedores se iniciaram nesta quarta (14) e o público em geral poderá comprar na sexta (16) a partir das 16h (horário de Brasília), caso ainda haja bilhetes disponíveis. Para os vascaínos, o valor é de 200 reais.
Já começou a venda de ingressos para o jogo contra o Vasco! 🦊🎟

Quem é @socio5estrelas já pode adquirir no site:

➡️ https://t.co/UANxUo2swh

📸 @staff_images pic.twitter.com/K8quSjLNsL
O centroavante do Cruzeiro relatou ter sido vítima de racismo no fim do ano passado. Dessa forma, Lincoln detonou o jornal Novo Tempo, do Espírito Santo, por ter noticiado que o jogador teria ameaçado os moradores de um condomínio em Serra (ES). Portanto, em 27 de dezembro de 2021, eles acionaram a polícia ao reclamar do som alto que vinha do apartamento do atleta, que festejava na ocasião a sua venda para o Vissel Kobe, do Japão. Assim, na sua versão, Lincoln disse que ele e seus familiares foram chamados pelo síndico de “pretos”, “favelados”, e que deviam estar no “chiqueiro por não saberem se comportar”.
“A família de Lincoln confeccionou B.O contra o síndico por injúria racial, ameaça, difamação e injúria. O Jornal em nenhum momento citou que existe um B.O em andamento de Lincoln e seus familiares pelo crime de racismo, que é considerado gravíssimo na Constituição Brasileira. E pela Lei de Racismo, torna o crime inafiançável e imprescritível”, diz a nota publicada pela assessoria de imprensa do atacante do Cruzeiro, que ainda complementou. “O boletim de ocorrência por injúria racial segue em trâmite e o síndico será investigado em inquérito policial. Além deste processo, Lincoln e seus familiares também vão registrar um B.O contra o Jornal Tempo Novo por promover inverdades, calúnia e difamação.”
Logo após acertar as permanências de Rafael Cabral, Lucas Oliveira e Neto Moura para 2023, o Cruzeiro planeja adquirir o lateral-esquerdo Matheus Bidu, que está emprestado pelo Guarani. Assim, o valor do atleta é de 1,2 milhão de euros (R$ 6 milhões). De acordo com o GE, o Cabuloso ainda não consultou o Bugre sobre a compra do atleta. Dessa forma, o Corinthians já manifestou o desejo de contar com Bidu no ano que vem.
Outro jogador que está nos planos para o ano que vem é o volante Filipe Machado. Mas a situação deste é mais tranquila, pois como seu contrato termina no fim do ano, basta que a Raposa acerte a renovação com o atleta e seus representantes.
O quadro #Top3 está de volta! 🔝3️⃣

Rolou narração de gol, cantoria, resenha, declarações de amizade e muito mais! 😂💙

➡️ https://t.co/2774HQ9MhI

“Jajá” vamos produzir o próximo episódio, beleza?

🎥 @marcoferraz85 / Cruzeiro pic.twitter.com/9PJcbMlllC
Em entrevista coletiva, Paulo Pezzolano relatou que gostaria de ficar na história por conquistas importantes para a Raposa. Desse modo, não considera o Brasileirão Série B. “O torcedor via que o clube estava perto de desaparecer, lamentavelmente. Perto da Série C. Então isso é importante, sabia que estavam mal e conseguimos que o Cruzeiro volte, esteja perto de voltar para onde merece. E que comece a ganhar coisas que merece o Cruzeiro, da sua grandeza”, declarou o técnico uruguaio.
.
Mais notícias do Cruzeiro
Por rafael.alabymartinsferreira

1
Por Guilherme Lopes

1
Por diegolucioco@gmail.com

1
Por flsouza01@gmail.com

1

source

Simone promete transformar Nordeste em Sudeste e é acusada de xenofobia – TOPMÍDIA NEWS

A candidata à presidência, Simone Tebet, do MDB, foi acusada de xenofobia, nas redes sociais, por comparar a região Nordeste com o Sudeste do País. Internautas entenderam que ela inferiorizou os nordestinos. 
No Twitter, internautas – a maioria apoiadores do candidato Lula – reproduziram as falas da candidata, durante visita a Campina Grande, na Paraíba, nesta terça-feira (13). Em um trecho, Tebet diz que vê condições de transformar o Nordeste no que é o Sudeste. 
”Para ela, parece que o único modelo possível de Brasil é o Sudeste”, lamentou um internauta que puxou as críticas. Demais usuários da rede concordaram com ele. 
Outro fato que indignou quem mora nos nove estados da região, foi a candidata dizer que o Nordeste é o ‘’interior’’ do País. ”Puro estereótipo”, garantiu o crítico.
Ele seguiu com a reclamação. ”Quem falou pra ela que nós queremos nos transformar num lugar que não deu certo?”, questionou outro comentarista do Twitter. 
”Em resumo: o Nordeste, para Simone Tebet é lugar pobre, dono de potencialidades que, se receber olhar especial de ‘salvadores’ como ela, pode uma dia virar o Sudeste”, lamentou o jornalista, observando que jamais trocaria onde mora por São Paulo ou RJ. 
Apesar das várias críticas, outros twiteiros disseram entender o que a emedebista quis dizer. 
Um participante da discussão ponderou: ”Ela se referiu ao desenvolvimento econômico e industrial do Sudeste e não em questões culturais e sociais”. 
Entramos em contato com a assessoria da candidata e aguardamos retorno. 

source

Viola Davis vai ao Rio com 'Mulher Rei' e diz que Brasil é chave para falar de racismo – Folha

Acesse seus artigos salvos em
Minha Folha, sua área personalizada
Acesse os artigos do assunto seguido na
Minha Folha, sua área personalizada

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Gostaria de receber as principais notícias
do Brasil e do mundo?
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Já em meio aos preparativos para sua primeira visita ao Brasil, a partir do fim de semana, Viola Davis encaixou na agenda atribulada uma conversa com jornalistas para falar de seu novo filme, “A Mulher Rei”, que chega aos cinemas na próxima semana. Nela, deixou claro que “essa história não poderia ser contada sem o Brasil”.
Ambientado no antigo Reino de Daomé, onde é hoje o Benin, no início do século 19, o longa é inspirado nas ahosi, guerreiras mulheres que o defendiam. Davis protagoniza a trama como a chefe do grupo e é também produtora, o que ajudou a diretora Gina Prince-Bythewood a levar a história às telas.
Ao longo da trama, há várias menções ao Brasil, já que boa parte das riquezas de Daomé veio da venda de negros de outros reinos e tribos aos europeus, que os traficavam para as Américas para serem escravos.
Há um personagem português e outro brasileiro no filme, que estão na África justamente para tirar vantagem do regime escravocrata. Assim, é possível ouvir português sendo falado aqui e ali, embora Hero Fiennes Tiffin e Jordan Bolger, intérpretes dos rapazes, sejam britânicos.

O Brasil é uma grande parte da narrativa da história dos negros e da escravidão. A maior parte dos africanos que foram escravizados foi para o Brasil. Então o país de vocês se torna um antro de informação, uma fonte importante para narrar a nossa história”, diz ela.
“Enquanto atores, a gente precisa sempre buscar essa especificidade, essa inclusão. Enquanto eu crescia, as pessoas reforçavam uma diferença entre brasileiros, caribenhos, dominicanos, porto-riquenhos, negros americanos. Isso ainda existe, mas nós estamos todos conectados. Somos só mais uma parada na rota do comércio de escravos africanos. E é por isso que precisamos contar histórias como a de ‘A Mulher Rei’, para percebermos isso.”

A Sony, distribuidora do filme, ainda não deu detalhes sobre a vinda de Davis ao país. Os únicos compromissos confirmados até agora são um evento para a imprensa na próxima segunda-feira, no Copacabana Palace, e o tapete vermelho do longa, à noite.
“Eu gostaria de dizer que o Brasil absolutamente ama a Viola e que ela também ama o Brasil”, disse ainda a colega de elenco Thuso Mbedu, arrancando um grito de excitação de Davis. Esta, então, respondeu: “Eu mal posso esperar, estou muito animada!”.
Em paralelo à vinda da atriz, acontece também uma exposição com fotos, figurinos e modelos usados pela equipe de direção de arte de “A Mulher Rei”, no Museu da História e Cultura Afro-Brasileira, o Muhcab, no Rio de Janeiro.
A mostra, batizada de “O Impacto da Mulher na Cultura Afro-Brasileira”, é gratuita, começou nesta sexta-feira (16) e fica em cartaz até o dia 1º de outubro.
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Leia tudo sobre o tema e siga:
Você já conhece as vantagens de ser assinante da Folha? Além de ter acesso a reportagens e colunas, você conta com newsletters exclusivas (conheça aqui). Também pode baixar nosso aplicativo gratuito na Apple Store ou na Google Play para receber alertas das principais notícias do dia. A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade. Obrigado!
Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 200 colunistas e blogueiros. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?
Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Carregando…
Carregando…
Mastercard apoia inclusão digital de empreendedores das favelas
Debate discute desafios e oportunidades nas carreiras jurídicas
PARCERIA NA TRANSFORMAÇÃO DIGITAL, DE PONTA A PONTA
Ciência comprova eficácia e aponta novos caminhos para Cannabis medicinal
Na Móbile, projeto de vida começa cedo
Alunos trilham ensino médio de olho no superior
Prevenção ao suicídio exige engajamento de toda a sociedade
Inteligência artificial e automação moldam o futuro das empresas
Soluções de cibersegurança reforçam confiança do consumidor nas empresas
Tecnologia permite que pessoas recebam pela comercialização de seus dados
Especial traz exemplos de como é possível preservar a Amazônia
Imunocomprometidos precisam reforçar atenção e cuidados contra a Covid-19
Tecnologia da Mastercard possibilita transferências com uso de cartão de débito
WhatsApp oferece ferramentas para combater informações falsas
Novo Vista traz alta gastronomia e sofisticação a bordo; conheça
Consumidor já pode pagar suas contas com o rosto
A revolução genética na oncologia
Robôs aprendem, conversam e surpreendem visitantes em exposição em SP
Entenda o que é privacidade e por que precisamos falar sobre isso
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Pesquisa mostra pouca fidelidade do eleitor a coligação de candidaturas majoritárias
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Por meio de perguntas, ferramenta mostra candidatos com que o leitor tem mais afinidade
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Maior prejuízo ocorreu em matemática no 5º ano do fundamental; dados do Ideb 2021 saíram nesta sexta (16)

O jornal Folha de S.Paulo é publicado pela Empresa Folha da Manhã S.A.
Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.
Cadastro realizado com sucesso!
Por favor, tente mais tarde!

source

GR quer combater "o estigma, a discriminação e o preconceito" contra a comunidade LGBTI+ – Diário de Notícias Madeira

© 2021 Empresa Diário de Notícias, Lda.
Todos os direitos reservados.
O Governo Regional da Madeira “quer acabar com o estigma, a discriminação e o preconceito” contra comunidade LGBTI+, afirmou esta terça-feira, 6 de Setembro, o chefe do executivo madeirense, Miguel Albuquerque na inauguração oficial do Centro Comunitário LGBTI+ da Madeira, o segundo do País.
O Centro LGBTI+ da Madeira foi inaugurado, de forma oficial, hoje depois de o Governo Regional ter cedido um espaço na Rua Latino Coelho nº 57, no Funchal, e ter concedido 70 mil euros à Opus Gay – Obra Gay Associação e à Rede Ex Aequo – Associação de Jovens Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans, Intersexo e Apoiantes, associações coordenadoras do espaço. 
Aos jornalistas, o coordenador da Opus Gay, Paulo Spinola, descreve que o Centro LGBTI+ representa a “esperança de que podemos viver numa sociedade mais inclusiva”.
O espaço hoje inaugurado vai trabalhar no sentido de prestar apoio à população em geral nas áreas da educação, da psicologia, da sexualidade e do social. 
Governo Regional concedeu 70 mil euros à Opus Gay – Obra Gay Associação e à Rede Ex Aequo – Associação de Jovens Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans, Intersexo e Apoiantes para apoiar a instalação do Centro Comunitário


© 2022 Empresa Diário de Notícias, Lda. Todos os direitos reservados.

source

O que é etarismo? Antropóloga discute as raízes do preconceito contra os mais velhos – Vogue Brasil

Antropóloga explica as raízes do etarismo e como combatê-lo (Foto: Getty Images/Refinery29 RF)
Etarismo é a discriminação contra as pessoas com base em estereótipos associados à idade. O etarismo pode se manifestar de diferentes maneiras, como atitudes de exclusão, de violência, de abuso, de infantilização e até mesmo por meio de piadas e “brincadeirinhas”. O termo é útil para denunciar qualquer tipo de discriminação etária, podendo envolver estereótipos e preconceitos contra velhos, mas também contra adultos, adolescentes e crianças.
Exatamente por isso, prefiro usar o termo velhofobia, pois meu propósito tem sido combater a discriminação e o preconceito contra os mais velhos, apesar de considerar importante denunciar a discriminação existente em outras fases da vida. Sinceramente, não acho tão importante assim a palavra que escolhemos para denunciar a discriminação contra os mais velhos, seja etarismo, velhofobia ou outra qualquer. Para mim, o mais importante é denunciar e combater a violência, a discriminação e o preconceito que as pessoas mais velhas sofrem dentro das próprias casas.
Utilizo o termo velhofobia não apenas para designar os preconceitos, estigmas e violências contra as pessoas dessa faixa de idade, mas, também, para destacar os medos, pânicos e até mesmo fobias associadas à velhice.
Cabe destacar que as pessoas de mais idade preferem ser chamadas de velhas e não de idosas, maduras, coroas, sêniores, maiores, terceira idade, melhor idade etc. Não sou contra os outros termos, mas prefiro respeitar a autodefinição das mulheres e homens que venho pesquisando nas últimas três décadas.
Como disse uma escritora, de 69 anos, é melhor usar o termo velhofobia exatamente para tirar o peso e o estigma da palavra velho.
“Sou velha mesmo, qual é o problema? Para que ficar dando um nome mais bonito se isso não muda nada a violência, o preconceito e a intolerância que temos que enfrentar todos os dias, inclusive dentro das nossas casas? Etarismo eu acho meio complicado para quem não estuda as questões da velhice. Velhofobia é uma palavra mais clara e objetiva, mais fácil de entender. Mas tanto faz, etarismo ou velhofobia, o importante é ter a coragem de enfrentar os nossos próprios medos, vergonhas e preconceitos de envelhecer.” 
Em dezembro de 2021, fiz uma enquete no meu perfil do LinkedIn com a seguinte pergunta:
“Que termo você prefere para designar a discriminação, o preconceito e a violência contra as pessoas mais velhas?”
O resultado dos 313 votos da enquete foi:
44% etarismo
36% velhofobia
12% idadismo
8% ageísmo
A violência contra os velhos sempre existiu, mas ficou muito mais evidente na pandemia. Os homens e as mulheres mais velhos que eu venho pesquisando, que já experimentavam uma espécie de invisibilidade social e de “morte simbólica”, ficaram horrorizados ao constatar que são considerados um peso para a sociedade. O preconceito se disseminou pela internet com memes que dizem que velho é teimoso, é descartável e inútil. O mais cruel é que muitos dos que disseminam o discurso de ódio e de violência contra essas pessoas já passaram dos 60 anos. Vocês se lembram dos discursos de autoridades, políticos e empresários no início da pandemia?
“Vamos todos nos contaminar para criar imunidade e esta epidemia acabar logo. Só irão morrer alguns velhinhos doentes. Deixem os jovens trabalharem. Não vamos parar a economia para salvar a vida de velhinhos. Só velhinhos irão morrer, eles iriam morrer mesmo, mais cedo ou mais tarde. Vai ser até bom para a Previdência se morrerem logo. O problema do Brasil é que todo mundo quer viver 100 anos”.
Nossas casas escondem uma brutal violência física, psicológica e verbal, abuso financeiro, negligência, falta de cuidados básicos de higiene e saúde, maus tratos e abandono dos mais velhos. As denúncias de violência para essa população pelo Disque 100 cresceram 500% durante a pandemia. A realidade é muito mais assustadora, pois a maioria tem medo e vergonha de denunciar seus agressores, os próprios filhos em mais de 50% dos casos, além dos netos, cônjuges, genros e noras.
Eu sempre repito como um mantra: o jovem de hoje é o velho de amanhã. Lutar contra a discriminação dos mais velhos é lutar pela nossa própria velhice e, também, por uma velhice com mais saúde, dignidade e autonomia para os nossos filhos e netos: os velhos de amanhã.
Se, no século passado, tivemos a revolução dos jovens, no século 21 precisamos lutar para fazer a revolução dos mais velhos: é isso que eu chamo de A Revolução da Bela Velhice.

source