Porto Editora responde à polémica do caso Marega para discutir racismo – CNN Portugal

A Porto Editora esclareceu esta segunda-feira a menção do “caso Marega” no manual de filosofia “Ágora”, rejeitando que o livro “potencie a criação de um estigma injustificado sobre milhares de adeptos, como refere o comunicado emitido pelo clube vitoriano”.
Apesar disso, em comunicado, é feito um pedido de desculpas: “Os autores do manual referem-se aos adeptos do Vitória Sport Clube como os autores dos insultos racistas”, acusações das quais o clube foi absolvido. Desta forma, “pedimos desculpa ao Vitória Sport Clube e aos adeptos vitorianos e vamos proceder à correção do texto, nos livros escolares que ainda não foram impressos.”
Num manual de filosofia do 10.º ano, a Porto Editora abordou o posicionamento ético de um pivot de um telejornal enquanto noticiava os insultos racistas que adeptos do Vitória de Guimarães teceram relativamente a Moussa Marega. O caso aconteceu a 16 de fevereiro de 2020 no estádio D.Afonso Henriques e levou à saída de campo do jogador, assim que ouviu os insultos. 
Perante a publicação do manual, o Vitória de Guimarães criticou, num comunicado publicado no passado domingo, a posição da editora, afirmando que “um estigma generalizado foi criado” e que “o Vitória Sport Clube foi absolvido de todas as acusações referentes a este caso”. Três espectadores foram multados na sequência desse caso.
O comunicado termina com uma exigência: a retirada do caso de estudo do manual de filosofia. Isto porque, segundo o clube, a menção no manual “potencia a criação de um estigma injustificado sobre milhares de adeptos e sobre um clube que celebra, dentro de dois meses, o seu Centenário”.

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.