Michael Johnson questionou o recorde mundial pulverizado nos 100 metros barreiras e acabou acusado de racismo – Observador

Ouvir Rádio
©2022 Observador
A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.
Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais
Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.
Siga o tópico Atletismo e receba um alerta assim que um novo artigo é publicado.
O antigo campeão olímpico colocou em causa a veracidade do registo de Tobi Amusan nos 100 metros barreiras, nos Mundiais, que valeu à nigeriana o recorde mundial. Michael Johnson já se defendeu.
Exclusivo assinantes: Ofereça artigos aos seus amigos.
O norte-americano, agora com 54 anos, é comentador de atletismo para a BBC
ANP via Getty Images
O norte-americano, agora com 54 anos, é comentador de atletismo para a BBC
ANP via Getty Images
Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.
O nome de Michael Johnson, dono de quatro ouros olímpicos e campeão mundial em oito ocasiões, pairou ao longo de todos os Mundiais de atletismo que terminaram este domingo em Eugene, nos Estados Unidos — mesmo que já tenham passado 22 anos desde os Jogos de Sydney, quando o norte-americano se despediu das pistas. 
Primeiro, Michael Johnson foi recordado pelos motivos expectáveis. Noah Lyles, agora bicampeão mundial, venceu a final dos 200 metros sem grande concorrência e tornou-se o terceiro atleta mais rápido de sempre na distância, superando o recorde nacional que pertencia precisamente a Johnson e ficando apenas atrás de Usain Bolt e de Yohan Blake. Depois, Michael Johnson tornou-se protagonista pelos motivos mais inusitados.
I don’t believe 100h times are correct. World record broken by .08! 12 PBs set. 5 National records set. And Cindy Sember quote after her PB/NR “I throughly I was running slow!” All athletes looked shocked.
— Michael Johnson (@MJGold) July 25, 2022

Na competição feminina dos 100 metros barreiras, Tobi Amusan fez história ao quebrar o recorde pessoal nas eliminatórias e pulverizar a melhor marca mundial logo nas meias-finais. Ao percorrer a distância em 12.12 segundos, a nigeriana de 25 anos cortou em oito centésimos o registo absoluto que pertencia à norte-americana Kendra Harrison desde 2016. E Michael Johnson — assim como praticamente toda a gente ligada à velocidade que acompanhou os Mundiais de atletismo — estranhou não só a facilidade com que Amusan quebrou o recorde como também a variedade de registos superados pelas outras atletas que participaram na prova.
PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR
“Não acredito que os tempos dos 100 metros barreiras estejam corretos. Um recorde do mundo batido por oito centésimos. 12 recordes pessoais, cinco recordes nacionais. A Cindy Sember, que foi recorde pessoal e nacional, disse depois da prova que até pensou que estava a correr lento. Todas as atletas pareceram chocadas”, escreveu o norte-americano, que é também comentador para a BBC, no Twitter. As ondas de choque, contudo, foram praticamente imediatas.
Os grandes duelos foram corridas de uma só figura: Noah Lyles bate registo de Michael Johnson, Shericka Jackson faz segunda marca de sempre

Michael Johnson foi rapidamente acusado de racismo em relação a Tobi Amusan, sendo forçado a explicar-se poucas horas depois do comentário original. “Como comentador, o meu trabalho é comentar. Ao questionar os tempos de 28 atletas, e não de uma atleta, ao questionar se o sistema de cronometragem teve algum problema, fui atacado e acusado de racismo e de questionar o talento de uma atleta que respeito e que até já achava que iria ganhar. Inaceitável. Sigo em frente”, acrescentou o norte-americano de 54 anos.
De referir que, já na final dos 100 metros barreiras — que Tobi Amusan venceu, sagrando-se campeã mundial sem grande oposição –, a nigeriana voltou a melhorar o registo alcançado na meia-final, percorrendo a distância nuns impressionantes 12.06. Contudo, a marca não é válida nem poderá ser considerada para novo recorde mundial, já que o vento favorável que se fazia sentir no Hayward Field era superior ao limite legal definido pela World Athletics.
WORLD RECORD ????
TOBI AMUSAN ???????? DESTROYS THE WORLD 100M HURDLES RECORD IN 1⃣2⃣.1⃣2⃣ (+0.9 m/s) IN THE SEMIS!#WorldAthleticsChamps pic.twitter.com/wbcFj0OOou
— World Athletics (@WorldAthletics) July 25, 2022

Sobrinho terá desviado 15 milhões para o Sporting
Rendeiro e o advogado tentaram proteger fortuna
PSD tenta apagar embaraço interno e blindar Moedas
Shema Israel (Escuta Israel)
“Benfica é a minha casa, devo-lhe toda a carreira”
Sydney, a nova coqueluche do desporto dos EUA
Allyson e a pausa na reforma que deu mais um ouro
Pichardo: a miséria de Cuba é a nossa fortuna
Cânticos anti-Benfica valem quatro castigos
“No lugar deles, vendia Taremi”, diz… Taremi
Tadej Pogacar falha Volta a Espanha
Ronaldo mais perto da saída. Que hipóteses ficam?
As notícias das 13h
A invulgar inteligência do Café Janis
Yasiin Bey, Sam The Kid e Karol Conká no Iminente 
Citemor: estreias de Dinis Machado e Diana Niepce
Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.
A enviar artigo…
Ainda tem para partilhar este mês.
O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.
Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.
Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.
Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.
Por favor tente mais tarde.
Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.
Obrigado por assinar o jornalismo que faz a diferença.
Rua João Saraiva, nº 7
1700-248 Lisboa
© 2022
Disponível gratuitamente para iPhone, iPad, Apple Watch e Android

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.