Ministério Público de Portugal abriu 49 inquéritos de discriminação e xenofobia em três meses – Blogs

Quem escreve
Voltar
Portugal visto de dentro por um jornalista carioca: notícias e dicas de oportunidades no país cobiçado pelos brasileiros.
Gian Amato
Jornalista há mais de 20 anos, fez diversas coberturas internacionais por O Globo. Escreve de Portugal desde 2017 para o jornal e outros veículos brasileiros e portugueses. Sempre como repórter.
Investigação
Por Gian Amato

Bonde circula pelo centro de Lisboa

O Ministério Público de Portugal informou ao Portugal Giro que abriu 49 inquéritos apenas no primeiro trimestre deste ano para investigar crimes de discriminação e xenofobia.
Denúncias: Universidade de Portugal decide demitir professor que chamou brasileiras de mercadoria
São denúncias de “incitamento ao ódio e à violência que têm na sua base  motivações raciais ou xenófobas”, explicou o MP.
Em 2021, foram abertos 139 inquéritos, dois a mais que em 2020.
Ao longo dos anos, as denúncias têm aumentado e os resultados começam a aparecer, ainda que lentamente.
Brasileiras são alvo: Queixas de discriminação sobem 52% em Portugal na pandemia
Uma das denúncias que teriam sido remetidas diz respeito ao perfil Confissões da Feup no Instagram. É a sigla para Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. À época, a universidade informou que encaminharia o caso ao MP.
Entre as frases misóginas e xenófobas publicadas, estava a seguinte: “Antes, as brasileiras da Feup eram um regalo para os olhos. Agora, são uma cambada de feministas que querem pênis português e não admitem”.
Bullying: Agressão a brasileira de 11 anos choca, abre debate e expõe a violência nas escolas públicas de Portugal
Já o perfil Apanhei Covid na Feup trazia a imagem do coronavírus, a bandeira do Brasil e macacos representando brasileiros.
 
TAGS:
Comente
Publicidade

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.