Igrejas e Amnistia apelam a Biden pelos direitos humanos no Médio Oriente – Sete Margens

| 14 Jul 2022
O Presidente Biden percorre por estes dias uma etapa pelo Médio Oriente. Foto © Albin Hillert/WCC-CMI.jpeg
 
Expropriações de bens, deslocações forçadas de famílias e comunidades palestinianas, expansão de colonatos ameaçando a identidade multi-religiosa e multicultural de Jerusalém e minando a possibilidade de uma solução de dois Estados, aumento de discriminação, abuso, vandalismo, fogo posto e crimes contra cristãos, clero e igrejas.
A lista é dramática, mas é aquela que o secretário-geral em exercício do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) define como retrato da situação na Palestina. Ioan Sauca refere-a na carta que enviou ao Presidente dos EUA, Joe Biden, a propósito da visita que este está a fazer ao Médio Oriente até sábado, 16.  
Na carta, Sauca escreve, de acordo com o texto divulgado pelo CMI: “A sua visita surge numa altura de expropriação e deslocação contínua e crescente de famílias e comunidades palestinianas das suas casas em Jerusalém Oriental e em toda a Cisjordânia.”
Pedindo a Biden que ouça e responda às vozes das igrejas cristãs na Terra Santa, acrescenta o responsável do CMI: “As Igrejas e comunidades cristãs de Jerusalém têm enfrentado ameaças crescentes à sua futura existência na terra do nascimento de Cristo e no próprio local da sua morte e ressurreição.” E exemplifica: “Nos últimos sete meses, nada menos que sete declarações dos chefes das Igrejas em Jerusalém alertaram para estas ameaças contra a antiga presença cristã na Terra Santa, e contra a identidade viva do Bairro Cristão na Cidade Velha de Jerusalém.”
Sauca refere ainda que a “rica diversidade religiosa e social, o status quo histórico e o património da Cidade Santa de Jerusalém estão em perigo iminente.” Por isso, o responsável do CMI – que reúne 350 igrejas protestantes, reformadas, anglicanas e ortodoxas e representa cerca de 580 milhões de cristãos – apela a todos os “que reconhecem Jerusalém como uma cidade sagrada para os três credos e como uma cidade de dois povos” que falem e ajam no sentido de “assegurar esta visão e esta esperança contra aqueles que procuram deslocar, excluir e marginalizar os outros”.
Sauca pede ainda a Biden que ajude a restaurar a esperança de uma paz justa na região: “Rezo para que se inspire nesta visão de paz inclusiva durante a sua visita e para que lhe seja concedida a sabedoria e a força para procurar e perseguir esta paz.”
Também com o olhar centrado no mesmo destinatário, a Amnistia Internacional (AI) divulgou um comunicado, enviado ao 7MARGENS, onde apela a que o Presidente dos EUA condene as “violações sistemáticas de direitos humanos na região”. 
A Amnistia destaca que “a falta de responsabilização do Governo” israelita pelas “graves violações, incluindo crimes de guerra e crimes contra a humanidade, é perpetuada pela política dos EUA”. A Administração Biden e o Congresso dos EUA “devem cessar o fornecimento de armas aos militares israelitas até que seja garantido que esse equipamento não será utilizado para violações graves do direito internacional humanitário e dos direitos humanos, diz a organização de defesa dos diretos humanos. 
Sobre a Arábia Saudita, outra das etapas do périplo de Biden, a organização recorda a “intensa repressão sobre activistas, jornalistas independentes e escritores, que tem feito com que tantas pessoas sejam detidas e presas, na sequência de julgamentos grosseiramente injustos”. O Presidente deveria instar as autoridades sauditas a “libertar imediata e incondicionalmente todas as pessoas detidas por exercerem pacificamente os seus direitos humanos, e a levantar todas as proibições arbitrárias de viagem que lhes foram impostas, a si e aos seus familiares”, diz a organização. 
Em relação ao Egipto, a AI pede que Biden pressione as autoridades para que libertem “todos aqueles que foram detidos arbitrariamente apenas pelo exercício pacífico dos seus direitos humanos ou por razões de discriminação” e encerrem as “investigações criminais sobre o trabalho das ONG de direitos humanos”. 
 
Powered by Contextual Related Posts


Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XVI do Tempo Comum C. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 16 de Julho de 2022.
Pobres, excluídos e diálogo
16 Jul 2022
De 12 a 14 de julho, o Conselho Episcopal Latino-Americano e do Caribe (CELAM) realizou a sua Assembleia Extraordinária, na qual avaliou, juntamente com os presidentes e secretários gerais das 22 conferências episcopais, o caminho pastoral desta organização após a sua renovação.
 
Abertura da nova sede do CELAM
Recusem a mediocridade espiritual, o pragmatismo dos números e o funcionalismo que sempre ameaçam a marcha do Povo de Deus, recomendou o Papa Francisco aos bispos latino-americanos na sua mensagem por ocasião da inauguração da nova sede do Conselho Episcopal da América Latina e Caribe (CELAM).
A torre “by night”
A Irmandade dos Clérigos retomou no dia 1 de julho a iniciativa ‘Clérigos by Night’, que permite a subida à torre entre as 19h00 e as 23h00 para ver o rio e as cidades do Porto e Gaia.
Inscrições abertas
Abre esta segunda-feira, 4 de julho, o curso internacional multilingue sobre sinodalidade, com patrocínio de instituições reconhecidas, centrado no tema “Discernimento comum e tomada de decisões numa Igreja sinodal”.
Investigação de ONG
15 Jul 2022
  Uma base de registos de embarcações frágeis encontradas à deriva pelas patrulhas costeiras do governo da Turquia, bem como dados resultantes do cruzamento de outras fontes, indicam que, entre 28 de fevereiro e 22 de junho de 2022, mais de 27 mil migrantes foram…
Hong Kong
15 Jul 2022
O padre Franco Mella, de 74 anos, membro do Pontifício Instituto de Missões Estrangeiras, com sede em Milão, iniciou no dia 14 de julho em Hong Kong uma greve de fome de três dias junto ao muro de uma prisão de alta segurança.
Tráfico humano
15 Jul 2022
No decorrer do ano de 2021 a rede mundial de Talitha Kum expandiu a sua atividade, envolvendo 6.039 voluntários que realizaram ações de prevenção com 258.549 pessoas, apoiaram 19.993 vítimas de tráfico e capacitaram 58.416 mulheres através de atividades de treino e trabalho em rede.
Basílica menor
15 Jul 2022
  As pinturas murais da igreja da capela-mor da Igreja Matriz de Torre de Moncorvo foram objeto de restauro. Esta intervenção foi agora dada como concluída, revelou a Direção Regional de Cultura (DRC) do Norte, em comunicado enviado ao 7MARGENS. Este anúncio…
There are no upcoming events.



 
Propriedade de Associação Porta 18 [ACSFL]
R. da Páscoa, 12 – R/C Dtº – 1250-179 Lisboa | NIPC: 514 876 905

Redação Lisboa: Largo da Luz, 11, 1600-764 LISBOA
IBAN PT50 0035 0675 0004 6941 7308 1 (CGD)
Contactos
Sobre nós
Apoie o 7 Margens

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.