FF: racismo de Thurzin tira NOISE da Liga NFA; veja – Pichau Arena

Welcome, Login to your account.
Recover your password.
A password will be e-mailed to you.
Pichau Arena – Pichau Arena – Dedicados ao E-Sports
A NOISE — equipe de Free Fire (FF) Emulador da LOUD — estava preparada para estrear na Liga NFA — maior campeonato emulador da modalidade na América Latina — neste sábado (16), mas foi impedida pelo torneio por conta do caso de racismo de Arthur “Thurzin” Fernandez.
Na noite deste sábado (16), a LOUD emitiu um comunicado para o portal Mais Esports dizendo que a NOISE havia sido desclassificada do torneio por parte da NFA, que teria afirmado ao clube que o motivo da decisão seria os sócios da organização terem revogado a participação de Thurzin — acusado de racismo ao campeonato. Vale lembrar que o pro também foi afastado da NOISE. Veja o comunicado:
“A LOUD informa – às vozes ativas de sua comunidade e a todos os fãs de eSports – que a NOISE, time da organização no cenário emulador de Free Fire, infelizmente não participará da Copa NFA 2022.
Somente na quinta, 14/07, após anunciarmos com enorme satisfação os integrantes da nova seleção NOISE, a Liga NFA entrou em contato com a organização, de maneira repentina, para comunicar a desclassificação da NOISE no evento que estreia hoje. O motivo, segundo a NFA, é a volta do jogador Arthur “Thurzin” Fernandes, que teve sua suspensão revogada para a disputa da Copa NFA pelos sócios.
A decisão da NFA jamais foi prevista ou esperada pela LOUD, já que NFA e LOUD vem trabalhando em conjunto na implementação de projetos para tornar a área menos tóxica e mais inclusiva. Nesse sentido, confirmamos que, em relação ao atleta mencionado, a LOUD realizou com ele, durante sua suspensão, um forte acompanhamento profissional,  psicológico e socioeducativo, dentro e fora das redes – conforme afirmamos no início de junho.
No entanto, mesmo ciente das medidas adotadas desde o princípio, já em prática entre todos os colaboradores internos por meio de um calendário ativo de palestras sobre preconceito no eSports e em sociedade, lideradas por nomes referências do mercado, infelizmente, a NFA não considerou as ações suficientes. Importante ressaltar que, é preciso mudar internamente para assim tornar pública a mudança que queremos no cenário.
Por fim, informamos que mantemos nosso posicionamento de respeito e transparência com a nossa comunidade e parceiros e que, portanto, não nos cabe julgar as decisões da NFA, mas acatar e evitar que tais situações voltem a ocorrer. Reiteramos que a LOUD segue com seu propósito – inegociável – de trabalhar para eliminar todo e qualquer tipo de preconceito em prol de um ambiente de eSports tão inclusivo e saudável quanto vibrante e capaz de transformar vidas.”
 
Outro ponto que vale ser lembrado, é que Thurzin também foi penalizado pela Garena além da própria NFA na época que o caso ocorreu.
 
 
 
 
Uma publicação compartilhada por Arthur Fernandes (@loud_thurzin)

 
A NFA também se posicionou afirmando que não desclassificou a NOISE e que a equipe poderá sim competir desde que seja com o elenco formado por Victor Gabriel “Mito” de Souza Maia, Ridson Kauã “NExt” Gonçalo da Silva, Elton “Eltin” John e Leonardo “Leozin” Garcia Fernandes Silva; que já está inscrito no torneio. Veja:
 
A NFA informa que são inverídicas as informações de desclassificação da NOISE do 2º Split da Copa NFA, conforme reportado por nota oficial da LOUD. Em nenhum momento, os sócios do torneio entraram em contato com os representantes da organização para informar qualquer desclassificação, já que a equipe estava inscrita regularmente e com quatro atletas aptos para jogar, sendo eles: Victor Gabriel “Mito” de Souza Maia, Ridson Kauã “Next” Gonçalo da Silva, Elton “Eltin” John e Leonardo “Leozin” Garcia Fernandes Silva.
A respeito da suspensão do atleta Arthur “Thurzin” Fernandes, em nenhum momento a decisão foi revogada por parte da organização do torneio. O jogador continua suspenso de todas as competições da NFA por conta do ocorrido no dia 01 de junho, quando o mesmo foi acusado de injúria racial, após apresentar uma fala racista em suas redes sociais. A NFA informou para a LOUD que, para o retorno do atleta às competições, seria necessário trabalhar o problema não somente com ações internas, mas também de forma externa, o que não ocorreu até o momento.
 
 
 
 
Uma publicação compartilhada por Arthur Fernandes (@loud_thurzin)

 
Além disso, a NFA também comentou sobre os treinos em que Thurzin foi liberado a participar e informou que foi uma decisão da própria LOUD não competir na Liga NFA. Leia mais:
A NFA reforça que respeita a decisão da NOISE em não disputar o torneio, porém, a equipe está liberada para retornar a competição a qualquer momento com os atletas que já haviam sido inscritos previamente. […] O Thurzin foi liberado nos treinos justamente porque é um atleta profissional e precisa manter o ritmo de jogo. Não existe nenhuma restrição de quem joga os treinos da NFA, já que não é necessário nenhum tipo de inscrição.
 
 
 
FF: LOUD afasta Thurzin da NOISE; entenda

FF: “Passou um significado diferente” diz LOUD Thurzin sobre injúria racial

FF: Após polêmica, Thurzin retorna aos treinos e pode ser reforço para a NOISE

 
Siouxsie Rigueiras é jornalista e pesquisadora científica com uma década de experiência em imprensa com passagem pelos maiores portais de eSports do Brasil. Editora chefe da Pichau Arena, main Morgana, power ranger rosa e mãe de três gatos.
Prev Post

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.