Justiça do DF aceita ação contra Piquet por caso de racismo e homofobia sobre Hamilton – Grande Prêmio

O juiz Felipe Costa da Fonseca Gomes, da 20ª Vara Cível de Brasília do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, acatou nesta segunda-feira (11) a ação movida por quatro entidades contra Nelson Piquet por atitudes racistas e homofóbicas contra Lewis Hamilton e deu 15 dias para que o tricampeão da Fórmula 1 apresente contestação.
As entidades Francisco de Assis: Educação, Cidadania, Inclusão e Direitos Humanos; o Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese de São Paulo; a Aliança Nacional LGBTI; e a Associação Brasileira de Famílias Homoafetivas (Abrafh) entraram com uma ação depois de virem à tona as falas de Piquet em que trata Hamilton como “neguinho”.
A entrevista de Piquet foi concedida em novembro de 2021 ao canal do YouTube ‘Motorsports Talks’ – que tirou o vídeo do ar e, atualmente, não tem qualquer vídeo publicado. Quando tratou do acidente entre Hamilton e Max Verstappen no GP da Inglaterra do ano passado, o tricampeão mundial usou a expressão racista ‘neguinho’ para se referir ao piloto. A entrevista viralizou recentemente e chocou toda a comunidade internacional.
LEIA TAMBÉM
+Piquet banca racismo contra Hamilton e chama revolta mundial de “papo furado”: “Não ligo”
+Nelson Piquet é denunciado ao Ministério Público por racismo contra Hamilton
+Hamilton responde fala racista de Nelson Piquet: “Mentalidades arcaicas têm de mudar”

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Por conta disso, Fórmula 1, FIA e Mercedes expediram comunicados em solidariedade a Hamilton. O próprio heptacampeão se manifestou, bem como Sebastian Vettel, outros pilotos e ex-pilotos e organizações. A Fórmula 1 estuda banir Piquet do paddock para sempre, enquanto o Clube dos Pilotos Britânicos – dono de Silverstone – suspendeu a inscrição do brasileiro. Piquet chegou a se desculpar, mas empurrou a culpa para uma suposta tradução equivocada – claro, em entrevista à imprensa que não fala português.
Acontece que, ainda que o canal tenha tirado a entrevista do ar, o GRANDE PRÊMIO encontrou o vídeo completo e checou mais um trecho. Em dado momento após quase duas horas de entrevista, o ex-piloto é questionado sobre a temporada de 1982 e, mais especificamente, sobre o que achava do campeão daquele ano, Keke Rosberg.
Piquet diz que Keke “era um bosta”. Até aí, apesar da grosseria, nada acima dos limites. Mas Nelson resolve comparar com a situação do filho dele, Nico Rosberg, campeão mundial de 2016. É aí que, além de repetir a ofensa racista, ainda empreende um gancho homofóbico contra Hamilton.
“O Keke? Era um bosta, não tinha valor nenhum. É que nem o filho dele [Nico]. Ganhou um campeonato… O neguinho devia estar dando mais cu naquela época, aí tava meio ruim”, afirmou.
O valor da causa foi estabelecido pelo TJDFT em R$ 10 milhões.
No começo do mês, Piquet foi denunciado pelo Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios, em representação encabeçada pelos deputados federais do PSOL. O Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios analisará a representação parlamentar do PSOL – que acusa Piquet do crime de discriminação ou preconceito. Áurea Carolina (MG), Talíria Petrone (RJ) e Vivi Reis (PA) lideram a denúncia.
“Nossa mandata denunciou Nelson Piquet ao Ministério Público por suas falas racistas contra Lewis Hamilton. O racismo, que estrutura nossa sociedade, precisa ser combatido em todos os lugares”, escreveu Petrone em sua página no Twitter.
Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.
Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.
Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.