Tesla com mais um processo de discriminação – MaisTecnologia

A Tesla enfrenta um novo processo depois de 15 ex-funcionários terem aberto um novo processo contra a empresa por esta supostamente não impedir a discriminação de raça na sua fábrica em Fremont, Califórnia. O processo, que foi aberto num tribunal na Califórnia na semana passada, detalha as alegações dos trabalhadores de que estavam sujeitos a insultos racistas, comentários ofensivos e assédio no local de trabalho.
Conforme descrito no documento, os trabalhadores alegam que os seus colegas frequentemente usavam a palavra “negro” e outros termos racistas ou discriminatórios como “escravidão” ou “plantação” para descrever a cultura de trabalho da fábrica. Além disso, a Tesla supostamente deixou os grafites racistas nas paredes das casas de banho, bancos, armários e estações de trabalho que continham palavras racistas e ofensivas.
A ação alega que a administração também participou do assédio, “ignorou as reclamações e denúncias repetidas” sobre o assunto e retaliou os trabalhadores “por denunciar e reclamar sobre a discriminação”. Uma ex-funcionária, Jasmin Wilson, afirma que foi assediada sexual pelos seus colegas de trabalho e gerentes. Os seus gerentes supostamente não fizeram nada para denunciar a discriminação e, em vez disso, estabeleceram políticas prejudicando Jasmin Wilson numa retaliação pelas suas queixas.

Outro trabalhador, Nathaniel Aziel Gonsalves, afirma que foi demitido repentinamente após nove anos na Tesla por denunciar os atos discriminatórios na empresa. Vários outros trabalhadores alegam que foram negadas várias promoções com base na raça.
Este processo mais recente é apenas um dos muitos que visam a Tesla por suposta discriminação e outras formas de assédio no local de trabalho. No ano passado, um ex-assessor negro ganhou o seu caso que acusou a Tesla de não fazer o suficiente para evitar a discriminação. Ele recebeu um pagamento reduzido de US$ 15 milhões. A empresa também pagou US$ 1 milhão a um funcionário que alegou que a empresa não fez nada depois que ele ter sofrido insultos racistas pelo seu supervisor.
A Tesla negou as alegações de discriminação num post no seu blog, afirmando que a empresa “se opõe fortemente a todas as formas de discriminação e assédio”.
Fonte: Prnewswire

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.