O Cristo politicamente incorreto – Aleteia

Bernardino Mei | Public Domain
.css-tadcwa:hover{-webkit-text-decoration:underline;text-decoration:underline;}Pe. Gabriel Vila Verde Reportagem local @media screen and (max-width: 767px){.css-1xovt06 .date-separator{display:none;}.css-1xovt06 .date-updated{display:block;width:100%;}}publicado em 05/07/22
O “Cristo politicamente incorreto” foi o tema de um comentário escrito e publicado pelo pe. Gabriel Vila Verde em sua rede social:
“Quem fica dizendo por aí que Jesus só pregou o amor e que condenar o pecado é discriminação, nunca leu a Bíblia ou a leu de cabeça para baixo. O próprio Jesus condena o pecado e convida todos à conversão!
Para a adúltera que seria apedrejada, Ele disse ‘vá e não tornes a pecar’. A Zaqueu arrependido, que decidiu devolver o que roubou, Ele disse ‘agora a salvação entrou nesta casa’. Aos que deixam a esposa por outra, Ele chamou de adúlteros. Aos cambistas do Templo, que profanavam o lugar santo, deu-lhes uma boa surra de chicote. Aos que não queriam acreditar n’Ele, chamou-os de ‘filhos do diabo'”.
O sacerdote concluiu:
“Este é o Cristo politicamente incorreto, o Cristo dos evangelhos, que no último dia irá separar o joio do trigo!
Logo, essa historinha de que devemos pregar o amor e deixar de lado a responsabilidade da conversão e da santidade é palhaçada do demônio. Quem justifica o pecado está advogando em causa própria e não fala em nome de Cristo. É lobo em pele de cordeiro. Fique atento para não ser enganado!”
Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:
Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.
Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 – leva apenas um minuto. Obrigado!
Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.