'Sim ao Esporte. Não ao Racismo' é a campanha de Amstel, Observatório da Discriminação Racial no Futebol e Ford contra o racismo no futebol – Mercadizar

A campanha “Sim ao Esporte. Não ao Racismo” é uma iniciativa de Amstel, Ford e Observatório da Discriminação, e tem como objetivo convocar torcedores, formadores de opinião, jogadores, ex-atletas e influenciadores digitais a se manifestarem contra o racismo nos estádios. A campanha é uma resposta aos constantes casos de racismo que torcedores e jogadores brasileiros vêm sofrendo nos estádios, e foi veiculada nos painéis de publicidade nos campos, anúncios geolocalizados e em nota nas redes sociais. 
Vanessa Brandão, diretora de marketing das marcas mainstream do Grupo Heineken no Brasil, disse ao site Observatório da Discriminação Racial no Futebol que “Há anos, a Amstel busca promover discussões relevantes que possam contribuir para a sociedade por meio de suas iniciativas, e dentro do nosso patrocínio à Libertadores não é diferente. Nos unimos ao Observatório da Discriminação Racial no Futebol com o intuito de criar cada vez mais diálogo sobre esse tema e apoiar esta organização que compartilha de nossos valores e trabalha na construção de um futebol mais inclusivo e respeitoso.”
Não podemos mais nos calar com os casos de racismo no campo. Você está convidado a participar desse movimento da Amstel com @ObRacialFutebol no início de Corinthians x Boca Jrs. Vamos fazer barulho contra o racismo juntos! #BarulhoContraORacismo #BebaComModeração pic.twitter.com/QdVFDWEXNb
— Amstel Brasil (@AmstelBrasil) June 28, 2022

Por meio do site Reclame Aqui, um torcedor questionou “até quando os patrocinadores, em específico a Ford, vão se silenciar com relação aos casos de racismo na Libertadores”. A montadora respondeu:
“É papel de todos nós nos posicionarmos contra manifestações de racismo, e é por isso que estamos substituindo todas as nossas ações promocionais de produto relacionadas à Libertadores pela campanha ‘Sim ao Esporte. Não ao Racismo’.”
Agora é lei
Segundo o Observatório da Discriminação Racial no Futebol, a Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira, 6, o projeto da Lei Geral do Esporte, que reformula direitos e deveres de atletas, clubes e torcedores. Um dos destaques do texto é o aumento da punição para crimes de torcida. Os que são ligados a casos de racismo ou cometido contra as mulheres terão pena dobrada. O projeto também prevê a aplicação da pena de reclusão de um a dois anos e multa para o torcedor que participar de brigas de torcidas.
*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.
© 2018 – Todos os direitos reservados para E. X. Ribeiro

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.