Ucranianos são os refugiados mais aceitos no mundo, indica pesquisa – Yahoo Noticias

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Uma pesquisa que ouviu mais de 20 mil pessoas em 28 países corrobora um fenômeno discutido desde o início da Guerra da Ucrânia: os refugiados ucranianos são muito mais aceitos pelos países de acolhida do que afegãos, sírios e os que fogem de desastres humanitários em outros lugares do mundo.
De acordo com o levantamento, realizado pelo instituto de pesquisa Ipsos, 54% dos entrevistados afirmaram apoiar que seu país receba refugiados ucranianos, e apenas 15% se disseram contrários.
É uma receptividade bem maior do que a direcionada a refugiados de outras nacionalidades -32% disseram apoiar a chegada de sírios; 31%, de pessoas de Mianmar; 30%, de venezuelanos e afegãos, e 27%, dos que fogem do conflito no Sudão do Sul. Os ucranianos foram os mais aceitos em 26 países –Arábia Saudita e Malásia foram os únicos mais abertos aos sírios.
A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais, e a amostra é representativa da população adulta da maioria dos países -no caso do Brasil, representa a população conectada à internet, mais urbana e escolarizada que a média. Segundo o relatório do Ipsos, o resultado “sugere que a Guerra da Ucrânia pode até ter melhorado a atitude em relação aos refugiados, mas não é algo incondicional, e outras questões podem estar afetando as visões em relação aos refugiados de outros países”.
Na outra ponta, os afegãos foram os mais rejeitados pelos 28 países da sondagem: um terço da amostra se disse contrária à chegada de refugiados do país controlado pelos radicais do Talibã. Questionados em relação a refugiados de qualquer nacionalidade, 36% se disseram favoráveis a recebê-los em seus países.
Nesse quesito, o Brasil é exceção e foi o mais aberto do ranking: 64% dos brasileiros ouvidos disseram apoiar o acolhimento de refugiados no geral. Assim como no resto do mundo, os ucranianos são os mais bem-vindos, com 69% de respostas favoráveis, contra 52% para birmaneses, 53% para sudaneses e 55% para afegãos. A aceitação a venezuelanos e sírios, fluxos mais comuns hoje no país, foi de 61% e 58%.
Outras pesquisas já mostraram que os brasileiros têm, no geral, uma visão positiva sobre os refugiados, mas relatos de xenofobia, especialmente contra imigrantes negros ou de origem indígena, vêm crescendo nos últimos anos. O Brasil também tem tradição de política externa aberta a esses grupos -foram criados vistos humanitários para sírios, afegãos e ucranianos, por exemplo-, mas o apoio aos que chegam é considerado insuficiente, com ONGs ficando responsáveis por absorver a maior parte da demanda.
Na pesquisa do Ipsos, os maiores índices de aceitação aos refugiados depois do Brasil foram os da Argentina e da Arábia Saudita, ambos com 52%, e do México, com 50%. As menores porcentagens de apoio ficaram entre os cidadãos de Turquia, Malásia e Hungria, com 12%, 14% e 18%, respectivamente.
A Turquia, vizinha à Síria, em guerra civil há mais de dez anos, é o país com o maior número de refugiados no mundo, 3,8 milhões, segundo o último relatório do Acnur (alto comissariado da ONU para refugiados).
Os dados, de 2021 -portanto, anteriores à Guerra da Ucrânia-, mostraram que a cifra de deslocados à força dobrou na última década, com 89,3 milhões vivendo longe de suas casas devido a conflitos ou violações de direitos humanos. Em maio deste ano, as Nações Unidas divulgaram uma atualização que inclui os refugiados ucranianos, com o número de deslocados forçados atingindo 100 milhões.
O êxodo ucraniano chamou a atenção por ser um dos mais velozes da história, com mais de 3 milhões de pessoas tendo deixado o país apenas no primeiro mês do conflito, especialmente pela fronteira com a vizinha Polônia. Uma parte desses exilados, porém, começou um movimento de retorno depois que o conflito se concentrou no leste do país. No geral, os países europeus abriram suas fronteiras a esses migrantes, o que gerou comparações com a resposta a outros fluxos recentes, como os do Oriente Médio.
54% é o apoio geral dos entrevistados de 28 países ao acolhimento de ucranianos; 32% disseram ter o mesmo posicionamento em relação a sírios, 30%, sobre venezuelanos, e 30%, sobre afegãos
64% dos brasileiros são a favor da recepção do país a refugiados de qualquer nacionalidade; a média mundial é de 36%
69% dos brasileiros apoiam a recepção de ucranianos; só os suecos são mais abertos a esse grupo, com 73%
Fonte: Pesquisa Ipsos realizada entre 22.abr e 6.mai de 2022
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Cinquenta motoristas e cobradores protestam na manhã desta quinta-feira (7) no terminal Campo Limpo, na zona sul de São Paulo, contra a demissão de 16 funcionários da empresa Transpass após a greve dos trabalhadores realizada no dia 29 de junho. A manifestação bloqueia a saída de ônibus do local e afeta 29 linhas do transporte coletivo. O sindicalista Valmir Santana da Paz disse que não aceita nenhum tipo de retaliação. "Já intermediamos e conseguimos reverter dez de
Manifestantes saíram à rua contra 'proposta francesa' apresentada pelo Conselho Europeu
A corrida eleitoral ao governo do Rio já tem os principais acordos selados a partir de apoios dos…
Na classificação na Bombonera, goleiro defendeu duas cobranças de pênalti e chegou a marca de 599 jogos pelo Timão
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – A CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado aprovou nesta terça-feira (5) um projeto de lei que autoriza a quitação ou o parcelamento de multas aplicadas pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) a produtores rurais. Parte dos autos de infração aplicados pelo órgão tem relação com o desmatamento. O projeto faz parte do pacote apelidado por ambientalistas e parlamentares de "boiadinhas", como vem sendo chamada a tramitação de textos que acontecem sem a o
Colorado saiu atrás no marcador, mas conseguiu o resultado que lhe garantiu a vaga
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – Mesmo sem reajuste salarial, os servidores do Banco Central aprovaram, em assembleia nesta terça-feira (5), o encerramento da greve que já durava três meses e a retomada imediata ao trabalho. De acordo com o Sinal (Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central), em nota, "a decisão da categoria levou em consideração que o movimento cumpriu seu papel –haja vista o envio, por parte da autoridade monetária ao Ministério da Economia, de propostas para a reestrutur
Em reunião com altos comandantes das forças armadas, o presidente Yoon Suk-yeol 'enfatizou que é missão dos militares defender a vida, propriedade, território e soberania do povo a todo custo'
Gravação que circula nas redes sociais mostra um suposto traficante entrando em uma igreja evangélica e pedindo a um pastor orações antes de participar de uma guerra com uma facção rival
Será preciso informar valores do dia da publicação de lei
Especialistas detalham o funcionamento do novo comprimido que promete quebrar 70% do álcool uma hora após a bebida
No pedido de prisão preventiva feito à Justiça, o MPF disse que houve falsificação de documentos para a compra de armamentos.
Supermodelo publicou registros em seu perfil do Instagram, na manhã desta quinta-feira
A Itália começou a julgar nesta quinta-feira 59 pessoas, incluindo vários empresários, acusados de responsabilidade no desabamento em 2018 da ponte Morandi de Gênova (noroeste do país), uma tragédia que provocou 43 morte.
O japonês Kazuki Takahashi foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira. Ele, que tinha 60…
Ouvido na 126ª DP (Cabo Frio) nesta quarta-feira, o ex-jogador Leandro Euzébio deu detalhes sobre o…
Protagonistas têm necessidades especiais e já são conhecidos do público espanhol
Primeira-ministra apresentou desafios do governo na Assembleia Nacional
Daniella Marques atribui afastamento de antecessor à decisão de Bolsonaro, que não se pronunciou até agora sobre denúncias de assédio que derrubaram ex-presidente do banco
Durante anos, defendi a tese de que o valor da obra era o seu conteúdo. O direito de gostar de exemplares caprichados foi uma longa conquista

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.