Atlético-GO mobiliza jogadores em ação contra a discriminação racial em partida pelo Brasileirão – Sagres Online

MENU

Nesse domingo (3), no Dia Nacional de Combate à Discriminação Racial, vários clubes do futebol brasileiro relembraram a data. Um deles foi o Atlético Clube Goianiense que promoveu várias ações de incentivo contra o racismo antes do início e durante a partida contra o São Paulo, no estádio Antônio Accioly, pela 15ª Rodada da Série A.
Os jogadores do Dragão entraram em campo com uma camisa personalizada com o símbolo da resistência que é o punho fechado para o alto e com os dizeres da campanha. Essas camisetas foram distribuídas para os torcedores presentes. Além disso, materiais para as redes sociais, telão no estádio e locução foram preparados pelo clube. A tradicional faixa com a escrita ‘Não Ao Racismo’ também fez parte da ação com uma volta olímpica.
“O Atlético Clube Goianiense apoia essa causa: Diga não à discriminação racial! Igualdade para todos! Racismo não entra em campo e nem no Castelo do Dragão! Aqui no Accioly, é cartão vermelho para o Racismo! A regra é clara: preconceito não faz parte do jogo. Chega de preconceito! Não ao Racismo!”
De acordo com o diretor administrativo do Atlético-GO, Marcos Egídio, a ação deve ser feita para “reforçar a luta contra o racismo e qualquer tipo de intolerância”. Além disso, afirmou que a diretoria vai continuar realizando esses projetos como incentivo para a sociedade e a torcida atleticana. “É uma luta contra a opressão, contra as desigualdades e vamos sempre enaltecer a cultura e negra e africana no Brasil. Isso é o que esperamos do nosso torcedor e de toda a população goiana”, ressaltou.
No clássico da 5ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A entre Atlético-GO e Goiás, o volante esmeraldino Fellipe Bastos acusou um torcedor atleticano de o ter chamado de macaco após o fim da partida. Sendo assim, Fellipe abriu um boletim de ocorrência no Geacri – Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância. O processo conduzido pelo delegado Joaquim Adorno ainda não chegou ao fim.
Outro caso de injúria racial foi no confronto de ida pela semifinal do Goianão Sub-20 entre Atlético-GO x Trindade. De acordo com o jogador Gustavo, do Dragão, o fisioterapeuta do time adversário o falou as seguintes palavras: “o que foi negão? O que foi macaco?”. O árbitro relatou na súmula o que aconteceu: “proferiu de forma clara, que todos que estavam próximos puderam escutar, inclusive eu”. O meia também abriu um b.o para apuração do caso.
04/07/2022
Utilizamos cookies para proporcionar a melhor experiência possível no nosso site. Ao continuar utilizando este site você aceita usar os cookies.
This website uses cookies so that we can provide you with the best user experience possible. Cookie information is stored in your browser and performs functions such as recognising you when you return to our website and helping our team to understand which sections of the website you find most interesting and useful.
Strictly Necessary Cookie should be enabled at all times so that we can save your preferences for cookie settings.
If you disable this cookie, we will not be able to save your preferences. This means that every time you visit this website you will need to enable or disable cookies again.

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.