Mês do Orgulho LGBTQIA+: troque frases preconceituosas pelas expressões corretas – OitoMeia

Neste mês ocorre a comemoração do Orgulho de ser LGBTQIA+ e durante todo esse período as empresas buscam por fortalecer a inclusão da comunidade em seus produtos e serviços, entretanto, as pessoas que fazem parte desse nicho devem ser respeitadas independentemente do dia, uma vez que sua orientação sexual e identificação não justificam nenhum ato de desrespeito.
Pensando nisso, o OitoMeia trouxe a forma correta de algumas expressões que você pode substituir no seu cotidiano, buscando cada vez mais incluir a comunidade, visando ainda cada vez mais o respeito e inclusão. Desde 2019, a homofobia é criminalizada no Brasil, a lei contempla atos de “discriminação por orientação sexual e identidade de gênero”, ainda que usado o termo de homofobia para definir essa lei, todas as outras pessoas LGBTQIA+ são contempladas.
De acordo com o Manual de Comunicação LGBTI.
Ninguém “opta” por sua orientação sexual, tanto a pessoa heterossexual quanto a comunidade LGBTQIA+, não escolheram a forma de desejo. Não constitui doença, desvio ou distúrbio mental, mas uma característica da personalidade do indivíduo.
O termo homossexualismo é totalmente incorreto e preconceituoso, uma vez que o sufixo “ismo” denota doença e anormalidade. O termo correto é homossexualidade, que se refere  à orientação sexual do indivíduo, indicando “modo de ser e sentir”
A palavra homoafetiva é sinônimo de homossexual, mas ressalta a conotação emocional e afetiva envolvida na relação amorosa entre pessoas do mesmo sexo e/ou gênero. É importante ressaltar que, ao se referir a uma pessoa, deve ser usada a palavra que se refere a sua orientação, assim como conhecer a nomeclatura correta dos diferentes tipos de casais.
Utiliza-se o artigo feminino “A” para falar da travesti que se identifica como mulher. O termo “O” Travesti, se referiria a uma pessoa travesti do sexo biológico feminino, mas com identidade de gênero masculino.
A readequação de sexo e gênero é muito mais ampla do que deixa entender o termo “mudança de sexo”, que pode reduzir a questão como apenas uma vontade de trocar de sexo. Antes das cirurgias, é realizada uma avaliação e acompanhamento ambulatorial com equipe multiprofissional, com assistência integral no processo de readequação de sexo e gênero.
Família homotransparental é aquela família em cuja composição existe ao menos uma pessoa de orientação homossexual e/ou identidade de gênero trans. Ela pode ser composta por somente uma pessoa ou por um casal, cisgênero ou transgênero, com ou sem filhos.  O casal gay sem filhos; a mulher lésbica com filho ou filha heterossexual, os pais heterossexuais com ao menos um filho ou filha gay, lésbica ou trans, todos são exemplos de família homotransparental.
LEIA MAIS EM:

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.