Em resposta à Coalizão, governo Bolsonaro diz ter políticas contra o racismo – Alma Preta Jornalismo

Portuguese en es
Portuguese en es
Governo responde ao pedido da Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) feito pelo movimento negro, que cobrou o governo brasileiro sobre políticas para a população negra
Texto: Pedro Borges | Edição: Elias Santana Malê | Imagem: Fábio Rodrigues / Agência Brasil
Governo responde ao pedido da Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) feito pelo movimento negro, que cobrou o governo brasileiro sobre políticas para a população negra
Texto: Pedro Borges | Edição: Elias Santana Malê | Imagem: Fábio Rodrigues / Agência Brasil
A Advocacia Geral da União (AGU) afirmou, em resposta ao pedido da Coalizão Negra por Direitos, que o governo brasileiro tem políticas voltadas para a população negra. O documento é um retorno aos questionamentos das organizações de movimento negro, pedido assegurado pela ministra do STF, Rosa Weber.
O governo Bolsonaro considerou o pedido “genérico” e “retórico”, sem sinalizar nada de “concreto” sobre a realidade vivida pela população negra no Brasil. A ACGU também refutou qualquer violação de direito contra o povo negro no país. “Não há qualquer violação a preceito fundamental”, disse o texto.
A Coalizão demandou a criação de um Plano Nacional de Enfrentamento ao Racismo Institucional e à Política de Morte da População Negra.
A ACGU sinalizou que a constituição brasileira, no artigo 4°, com o repúdio ao racismo e às políticas nacionais, como o Estatuto da Igualdade Racial, a Política Nacional de Promoção da Igualdade Racial, entre outros fatores, são exemplos de como o governo federal tem atenção especial para esse segmento. O Estatuto da Igualdade Racial tem caráter consultivo.
Por conta dessas políticas, o texto diz que a Coalizão tem “uma percepção demasiado simplista e reduzida com relação às políticas públicas direcionadas à população negra e que, ao contrário do alegado, estão em plena execução”.
“O governo Bolsonaro mentiu. Não faltam fatos concretos para afirmar que o governo aprofundou a violência contra pessoas negras, as principais vítimas durante a pandemia”, afirmou Douglas Belchior, articulador da Coalizão Negra por Direitos, organização responsável pela ADPF.
Questionada sobre a intolerância religiosa no país, o governo Bolsonaro apresentou como resposta a existência de dois cursos gratuitos sobre direitos humanos, disponibilizados de modo online. Os cursos são “Liberdade Religiosa e Estado Laico” e “Liberdade de Organização Religiosa”.
O documento também apresenta respostas para os questionamentos feitos nas áreas da saúde, educação, segurança pública, segurança alimentar, entre outros aspectos.
Leia também: “Negro quer poder”; Coalizão se prepara para ocupar parlamentos no Brasil
 Apoie jornalismo preto e livre!
 O funcionamento da nossa redação e a produção de conteúdos dependem do apoio de pessoas que acreditam no nosso trabalho. Boa parte da nossa renda é da arrecadação mensal de   financiamento coletivo e de outras ações com apoiadores. 
 Todo o dinheiro que entra é importante e nos ajuda a manter o pagamento da equipe e dos colaboradores em dia, a financiar os deslocamentos para as coberturas, a adquirir novos   equipamentos e a sonhar com projetos maiores para um trabalho cada vez melhor. 
 O resultado final é um jornalismo preto, livre e de qualidade.
 Acesse aqui e apoie a Alma Preta Jornalismo
Fique por dentro de tudo que acontece. Se inscreva e receba nossas notícias toda semana.
Desenvolvido por Agência Komodo

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.