Metade dos jogadores que participaram no Euro-2020 e CAN-2021 foram vítimas de discriminação – A Bola

A FIFA publicou, este sábado, um relatório independente sobre o abuso dos jogadores que participaram nas duas principais competições de seleção que se realizaram no ano passado. A data para o anúncio foi simbólica, já que se trata do Dia Internacional para a Eliminação do Discurso de Ódio.
 
Segundo o documento, metade dos jogadores que participaram no Campeonato da Europa 2020 e no Campeonato Africano das Nações 2021 foram vítimas de discriminação. Os abusos homofóbicos (40 por cento) e racistas (38 por cento) representam a grande maioria das queixas recolhidas.
 
Perante isto, a FIFA anunciou que, em conjunto com o Sindicato Internacional de Futebolistas (FIFPro) vai colocar em ação um plano para proteger todos os intervenientes. Será assim criado um algoritmo que vai detetar termos de ódio em contas nas redes sociais para que sejam tornadas invisíveis, bem como apoio à saúde mental de todos os jogadores.
Comentários a defender o direito a ser se estúpido e mal educado em sociedade. São os mesmos que se queixam do estado da sociedade e do excesso de liberdades dos homossexuais, mulheres, estrangeiros, jovens e pedem + repressão e penas + altas. Porrada para os outros claro eles não.
R@cistas camuflados em 3…2 ….1…
Concordo que alguns comentários não devem ser feitos quando são sem razão….. Agora se vão começar a criar algorítmos pá detectar insultos já não se poderá dizer nada nas redes sociais ….. Daqui a pouco escrevermos o nome de um jogador e já estamos censurados ..isto vai impor precedentes perigoso
Já cá faltava a desculpa esfarrapada da discriminação racial ou homofóbica no futebol para disfarçar as incapacidades e justificar os falhanços profissionais. Haja pachorra para esta gente mimada que ganham milhões a jogar à bola.

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.