UFC: Deiveson explica por que não quer lutar com Moreno e diz que racismo 'virou constante' após episódio com técnico – ESPN.com.br

Você está na Edição Brasil. Para acessar edições de outras regiões, clique aqui.
Brasileiro falou com exclusividade à ESPN (1:29)
Durante as preparações para a terceira luta da trilogia entre Deiveson Figueiredo e Brandon Moreno, um episódio com o treinador do lutador mexicano marcou negativamente as provocações.
O argentino Marcelo Rojo, então companheiro de equipe e membro do corner de Moreno, usou um filtro no Instagram para represnetar o brasileiro com o rosto de um macaco e foi acusado de racismo. O episódio mexeu com Deiveson, que afirma que esse é o principal motivo para ele não querer que a luta ganhe uma trilogia.
Além de todo o conteúdo ESPN, com o Combo+ você tem acesso ao melhor do entretenimento de Star+ e às franquias mais amadas de Disney+. Assine já.
“Como eu expliquei, o treinador dele foi racista comigo. Fez uma postagem no Instagram dele com um macaco com o meu rosto e eu não achei legal, não gostei da atitude dele. Brandon Moreno em rede social também falou coisas que chegaram a mim, me colocando como um ser humano que não vale nada. Não entendo a enrolada que ele fez, não gostei da palavra que ele usou para falar de mim. É um atleta que eu não tenho respeito por ele, mas não o critico“, disse, em entrevista exclusiva à ESPN.
“Ele tem a vida dele, tem as coisas dele. Ele que fique para lá, eu respeito ele para lá, que ele fique para lá, mas me deixe em paz. Não fique me criticando, não coloque palavras pesadas como ele colocou. Ele é um cara que, para mim, não tem conversa. Não converso com ele. Não gosto, mas não critico. E é uma luta que já estou saturado. Quarta luta com esse cara, não quero. Não é uma luta legal, não gosto dele“, prosseguiu.
Deiveson também revelou que o episódio com Rojo foi o primeiro desta natureza em sua carreira, mas que o racismo “virou uma constante” em suas postagens no Instagram.
Foi a primeira vez que aconteceu comigo. Já tinha lutado com vários gringos e ele (treinador do Moreno) foi o primeiro (a ser racista) e, desde então, isso vem acontecendo. Tenho mais de 20 mexicanos bloqueados em rede social porque entram no meu Instagram me chamando de macaco, mandando mensagens para mim. Eu bloquei porque são pessoas que não valem nada, não somam. Então bloqueio, não dou ouvidos”, finalizou.
Lutador brasileiro falou com exclusividade à ESPN

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.