Pessoas LGBTQI+: fazendo história ao longo da história | – ShareAmerica

Membros da comunidade LGBTQI+ nos Estados Unidos e ao redor do mundo têm estabelecido um legado impressionante em arte, história, literatura, matemática, ciência e política.
Ao longo dos anos, personalidades LGBTQI+ correram riscos significativos para ingressar e ter êxito em áreas competitivas, sabendo que sua identidade poderia prejudicar suas próprias carreiras ou as de terceiros. Apesar de sofrerem discriminação e assédio, pessoas LGBTQI+ têm feito contribuições vitais a sociedades através da história. 
Hoje, pessoas LGBTQI+ são líderes em várias nações. Dentre eles:
Nos Estados Unidos, Harvey Milk foi o primeiro político abertamente gay a ocupar um cargo público eletivo na Califórnia. Ele foi eleito para Conselho de Supervisores de São Francisco em 1978. E foi assassinado no ano seguinte por um político rival, mas continua sendo um símbolo de coragem. Em 2016, a Marinha dos EUA batizou um navio em homenagem a Milk.
A partir de junho de 2021, políticos LGBTQI+ eleitos nos Estados Unidos chegaram a quase mil*.
O governo Biden inclui o maior número de políticos LGBTQI+ da história da nação. Dentre eles:
Algumas das principais figuras artísticas e literárias tiveram de ser discretas sobre suas orientações sexuais ou identidades de gênero, enquanto outras assumiram abertamente (veja fotos acima).
Outros escritores notáveis incluem os americanos Walt Whitman, cuja livro Folhas de relva foi publicada pela primeira vez em 1855, e James Baldwin, conhecido por Notas de um filho nativo em 1955, entre outras obras.
Na música, figuras notáveis da comunidade incluem:
Dentre os artistas visuais estão os americanos Andy Warhol, Keith Haring e Jean-Michel Basquiat.
Em Hollywood, O jogo da imitação ganhou o Oscar de melhor roteiro adaptado. O filme de 2014 fez com que Alan Turing ficasse conhecido por muitas pessoas. Ele foi um proeminente matemático inglês que quebrou os códigos alemães nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Ele é considerado um fundador da área da Ciência da Computação de hoje.
Nos Estados Unidos, Frank Kameny é considerado um pioneiro dos direitos dos homossexuais. O Serviço de Mapas do Exército dos EUA demitiu Kameny em um momento em que os governos federal e estadual proibiam os gays de servir no governo. Embora Kameny tenha perdido seu processo trabalhista de 1961, foi o primeiro que a Suprema Corte considerou no âmbito de orientação sexual.
Outros da comunidade LGBTQI+ que lutaram pelos direitos dos trabalhadores dos EUA:
Em 2009, Edith Windsor desafiou com sucesso a negação do governo dos EUA de benefícios para casais do mesmo sexo.
Jim Obergefell foi o principal demandante na decisão histórica da Suprema Corte dos EUA em 2015, reconhecendo o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Quando o parceiro de Obergefell morreu em 2013, Obergefell deu início a um processo para ser designado como cônjuge legal.
* site em inglês
Fique ligado! Inscreva-se para receber atualizações do ShareAmerica.

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.