Cassação de vereador que disse 'coisa de preto' vira meta de chefe da Câmara de SP – Folha

Acesse seus artigos salvos em
Minha Folha, sua área personalizada
Acesse os artigos do assunto seguido na
Minha Folha, sua área personalizada

Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Gostaria de receber as principais notícias
do Brasil e do mundo?
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Presidente da Câmara Municipal de São Paulo, o vereador Milton Leite (União Brasil) se juntou às centenas de pessoas que, na manhã de quinta-feira (19), pediam a punição do seu colega Camilo Cristófaro (Avante), acusado de racismo.
A poucas horas do início da sessão da Corregedoria que aprovou a abertura do processo que pode cassar ou afastar temporariamente Cristófaro, Leite subiu em um caminhão de som estacionado em frente à Casa e agitou os manifestantes. “Não vamos admitir em nenhum lugar atitudes racistas.”
Desde o dia em que Cristófaro afirmou “não lavaram a calçada, é coisa de preto” em uma sessão da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Aplicativos, o presidente da Câmara, que se declara negro, tem como uma das prioridades cassá-lo.
Ele tem se articulado para isso, se reunindo com os demais parlamentares e depositando confiança na pressão da opinião pública em ano de eleições.
​A ficha com as confusões de Cristófaro é extensa. Ele acumula mais de dez pedidos de investigação na Corregedoria, sendo dois por denúncias de racismo cometidas, respectivamente, em 2018 e 2019.
Isolado na Casa, Cristófaro partiu para um ataque virtual contra o presidente, além de gravar vídeos com aliados e assessores negros para negar que seja racista.
O vereador investigado abastece uma lista de transmissão pelo WhatsApp com reproduções de notícias que veiculam expressões racistas ditas pela apresentadora Ana Maria Braga e o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso. Ambos usaram o termo “inveja branca”.
O presidente da Casa já teria exposto o seu desejo, inclusive, ao prefeito Ricardo Nunes (MDB). Segundo a legenda de um vídeo compartilhado por Cristófaro, Leite disse a Nunes que iria “mandar o Camilo embora”. O prefeito balança a cabeça em sinal de aprovação.
O parlamentar do Avante disparou o vídeo em sua lista de transmissão e ao grupo da Câmara, que reúne os 55 parlamentares.
“O presidente da Câmara Municipal se diz o dono da egrégia Casa e da Corregedoria”, escreveu Cristófaro. “Pura campanha política para ele e seus filhos, será que ninguém enxerga isso?”
Leite contra-atacou com áudios aos vereadores paulistanos. “Perco qualquer coisa nesta vida, mas não a dignidade e o respeito diante da minha raça”, falou o presidente.
“Não é Vossa Excelência exibindo vídeo ou áudio para quem quer que seja que vai me frustrar ou [me fazer] deixar de trabalhar para cassar o seu mandato, porque Vossa Excelência desrespeitou uma lei vigente neste país.”
Filho do presidente da Câmara paulistana, o deputado federal Alexandre Leite (União Brasil) foi quem protocolou uma das quatro denúncias contra Cristofáro à Corregedoria em razão da expressão “coisa de preto”.
O deputado classificou a atitude do parlamentar como indecente, desrespeitosa e criminosa. “Temos de ser enérgicos, contundentes e intolerantes no combate ao racismo e, por isso, recomendamos a cassação do vereador.”
As outras três denúncias à Corregedoria foram apresentadas pelas vereadoras Luana Alves (PSOL) e Sonaira Fernandes (Republicanos), que são negras, e por uma moradora de São Paulo.
Na queda de braço, Leite levou o primeiro round ao emplacar a vereadora Elaine Mineiro (PSOL), da bancada coletiva Quilombo Periférico, como a relatora do caso na Corregedoria.
A Corregedoria é um órgão independente, e a escolha do relator é uma prerrogativa do corregedor-geral, o vereador Gilberto Nascimento Júnior (PSC). Segundo a assessoria de Nascimento Júnior, Leite o consultou somente para saber quem estaria à frente no rodízio para assumir a relatoria do caso de Cristófaro. O corregedor, então, respondeu que seria a vez de Elaine e confirmou que a indicaria.
Outra solicitação do presidente ao corregedor foi a de agilizar o processo, que costuma se estender por meses. Empossada como a relatora na terça (17), Elaine apresentou dois dias depois o seu relatório pedindo a cassação ou a suspensão do mandato. O caso de Cristófaro, inclusive, entrou de última hora na pauta da reunião da Corregedoria na quinta.
Cristófaro chegou a pedir a suspeição de Elaine, mas o órgão recusou.
Minutos após os vereadores decidirem, por 6 votos a 0, pela abertura do processo que pode levar à cassação, Leite confirmou que a votação no plenário será nesta terça (24).

Conforme o regulamento da Câmara, o relatório de admissibilidade, elaborado por Elaine, precisa ser aprovado por maioria simples (28 dos 55 vereadores).
Caso isso ocorra, Cristófaro será convocado a apresentar a sua defesa.
A Corregedoria, então, deverá decidir se mantém Elaine para conduzir o relatório que pode sugerir a cassação, a suspensão ou a absolvição do vereador. Dessa vez serão necessários dois terços dos votos da casa, o equivalente a 37 vereadores.
Os únicos parlamentares cassados pelo legislativo paulista foram Vicente Viscome e Maeli Vergniano, ambos em 1999. Viscome foi acusado de ser um dos comandantes da Máfia dos Fiscais, na gestão Celso Pitta (1993-1996), e morreu em novembro de 2021. Já Maeli perdeu o mandato pelo uso indevido de um carro cedido por uma empreiteira que realizava coleta de lixo na cidade.
Versão anterior desta reportagem errou ao afirmar que somente um vereador foi cassado na história da Câmara Municipal de São Paulo. Na verdade, além de Vicente ​Viscome, Maeli Vergniano também perdeu o mandato em 1999. O texto foi corrigido. 
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Leia tudo sobre o tema e siga:
Você já conhece as vantagens de ser assinante da Folha? Além de ter acesso a reportagens e colunas, você conta com newsletters exclusivas (conheça aqui). Também pode baixar nosso aplicativo gratuito na Apple Store ou na Google Play para receber alertas das principais notícias do dia. A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade. Obrigado!
Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 200 colunistas e blogueiros. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?
Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Carregando…
Carregando…
Tecnologia é grande aliada da segurança nas viagens rodoviárias
Extremos, cadê as propostas?
Bradesco Seguros amplia projetos sustentáveis e facilita vida do cliente
Virada Cultural está de volta às ruas de São Paulo com 24h de shows e eventos
100% das entregas do iFood são neutras em emissão de carbono
Motorista da 99 ganha adicional na sua corrida vinculado a alta da gasolina
iFood tem como meta acabar com a poluição plástica no delivery até 2025
Cenários de outro planeta marcam o norte da Argentina
Fórum mostra caminhos para priorizar combate ao câncer
Realidade e perspectivas no diagnóstico e tratamento precoce do câncer
Carreta leva mamografia a mulheres da região amazônica
Asmático grave pode ter vida normal
Capital mundial da vacina amplia esforços contra Covid e influenza
Veículos elétricos: aliança liderada pela 99 busca superar os desafios de expansão
Vacinação contra pólio e sarampo tem início na cidade de São Paulo
Conheça quatro estações de esqui para aproveitar a neve que está chegando
Nespresso obtém certificação Empresa B, que distingue grupos que adotam práticas sustentáveis
Não existem limites para a inteligência artificial, estamos apenas começando
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Taxa dos que acham governo ruim ou péssimo era de 46% em março, segundo instituto
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Índice dos que dizem nunca confiar nas declarações no presidente teve recorde numérico de 60% em dezembro
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Para presidente do PSD, Datafolha mostra polarização consolidada entre Lula e Bolsonaro

O jornal Folha de S.Paulo é publicado pela Empresa Folha da Manhã S.A.
Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.
Cadastro realizado com sucesso!
Por favor, tente mais tarde!

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.