DataFórum: Veio da Havan promove xenofobia contra Paola Carosella e Moro lamenta virar réu – Revista Fórum

Levantamento DataFórum desta quarta-feira (25) revela que os grupos bolsonaristas continuaram a promover campanhas de ódio contra a chef Paola Carosella, que se tornou alvo de uma campanha xenofóbica promovida pelo empresário Luciano Hang, que também e conhecido como o “Veio da Havan”, em referência às suas lojas. 
Entre os grupos lulistas, os ataques se concentraram na ineficácia do governo Bolsonaro e nos vários escândalos de corrupção que surgiram nos últimos meses. 
Com a desistência de João Doria de disputar o Palácio do Planalto, os grupos de apoio ao pedetista o apontaram como o único viável para representar a chamada terceira via. 
O fato de o ex-juiz Sergio Moro ter virado réu em ação popular movida por deputados federais do PT mobilizou os grupos lavajatistas que saíram em defesa do ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro. 
Sergio Moro foi defendido por personagens peculiares, tais como o ex-deputado Arthur do Val, o Mamãe Falei, que foi cassado pela Assembleia Legislativa de SP (Alesp) por causa dos áudios sexistas sobre a sua viagem à Ucrânia. 
Apesar do fato de Sergio Moro ter se tornado réu ter sido uma das principais notícias desta terça-feira, os grupos lulistas foram superados em menções pelos bolsonaristas: 31% e 43%, respectivamente.
Foram analisados 615.239 tweets a partir das seguintes autoridades pesquisadas:  ‘Lula’, ‘Bolsonaro’, ‘Ciro’, ‘Moro’, ‘Alckmin’, ‘Eduardo Leite’, ‘Simone Tebet’ e ‘Doria’.  
 

 
Os bolsonaristas atacaram o Lula, culpando-o pela Bolívia ter reduzido em 30% o envio de gás natural ao Brasil. Continuaram os ataques à Paola Carosella, partindo de vários influenciadores, inclusive com Luciano Hang afirmando que ela deveria voltar para a Argentina.
Ainda houve ataques ao TSE e o Bolsonaro divulgou ações do Governo Federal.

 
Na comunidade lulista o tom foi de crítica em relação ao Governo Bolsonaro, com o próprio Lula afirmando que o Bolsonaro vive em um mundo de mentiras e não governa. A pauta econômica e os escândalos bolsonaristas foram destaque.
Também foi comentado o fato de o Moro ter virado réu em ação que pede ressarcimento de prejuízos causados à Petrobras.

 
A temática principal da comunidade foi o fato de o ex-ministro ter virado réu em processo que pede ressarcimento de danos à Petrobras. A argumentação principal é que o PT estaria tentando reescrever a história, acusando o ex-candidato ao Planalto.
Moro, aparece como principal destaque e foi defendido pela sua mulher, Rosângela, Artur do Val, deputado cassado de SP e pelo jornalista Samuel Pancher.

 
Comunidade formada principalmente por perfis que fazem humor com os candidatos. O alvo preferencial entre os destaques foi João Doria, que desistiu de sua candidatura.
Também houve referências a Moro e Ciro com tom sarcástico. 

 
Na figura do deputado David Miranda, o cirismo tentou envolver a chapa Lula-Alckmin na questão da PEC do pagamento pelo ensino universitário público. A argumentação foi que Alckmin havia proposto a medida em 2018, como candidato ao Planalto.
Houve referência a Ciro como candidato único da 3a Via, com apoio do PSDB. A temática do embate com Gregório Duvivier ainda está entre os temas elencados na comunidade.

 

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.