Pastor da Igreja Universal é acusado de cometer racismo contra funcionária em BH – Hoje em Dia

(Igreja Universal /Divulgação)
Um pastor da Igreja Universal está sendo investigado por suposta prática de racismo contra uma funcionária da instituição. Durante a gravação de um programa de TV, o pastor teria falado para a vítima que ia “passar chapinha’ no cabelo dela. A jovem gravou, em áudio, a fala do religioso. O episódio aconteceu no Templo Maior, no Lourdes, região Centro-Sul de Belo Horizonte.
A vítima, que é produtora do programa, registrou boletim de ocorrência nessa segunda-feira (16) na Delegacia Especializada de Investigação de Crimes de Racismo, Xenofobia, LGBTfobia e Intolerâncias Correlatas, na capital. A Polícia Civil (PC) informou que instaurou inquérito policial para apurar o suposto crime de injúria racial.
O Hoje em Dia conversou com o pai da vítima, Cláudio Anderson dos Santos, que é advogado e contou os detalhes do suposto crime.
Segundo ele, em determinado momento da gravação, a filha usou o ponto eletrônico para avisar o pastor que o rosto dele estava com muito brilho, o que tecnicamente e esteticamente não é recomendável para gravações audiovisuais. “Foi nesse momento que ele falou ‘vou passar chapinha no seu cabelo para…’ (pastor interrompe a fala)”, contou o advogado.
Cláudio afirmou que o pastor interrompeu a frase ao perceber que a fala dele não era conveniente. Nesse mesmo dia, o religioso teria pronunciado outras falas de cunho machista e homofóbico.
Depois da fala racista, a vítima levou o caso à direção do programa e ouviu de outras pessoas que o pastor estava “brincando’. Ainda conforme o pai e advogado, essa não foi a primeira vez que a filha foi ofendida e que o pastor também é preconceituoso com outras pessoas da produção.
Cláudio Anderson dos Santos disse que, até o momento, mesmo com o registro do boletim de ocorrência, o pastor não procurou a vítima para se retratar. O advogado não acredita que o religioso será punido dentro da Igreja Universal, e vai recorrer à Justiça.
Em nota, a instituição religiosa disse que está apurando internamente os fatos e que o caso não reflete a cultura inclusiva e de total respeito aos fiéis.
A PC informou que a data de depoimento do pastor não será divulgada devido à lei de abuso de autoridade. Também segundo a Polícia, outras informações serão divulgadas posteriormente para não prejudicar o andamento das investigações.
O Hoje em Dia entrou em contato com o pastor investigado e aguarda retorno.
Confira na íntegra a nota da Igreja Universal:
Leia mais:
Moradores do Morro do Papagaio são impedidos de usar prédio para aulas de judô, capoeira e balé
Minas é o estado com mais acidentes em rodovias federais no Brasil

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.