Menino de 11 anos tem o dedo amputado após sofrer ataques racistas na escola – Marie Claire Brasil

Raheem Bailey teve o dedo amputado após sofrer ataques racistas na escola (Foto: Wales Online)
Raheem Bailey, um garoto de apenas 11 anos, teve que amputar seu dedo depois de sofrer ataques racistas em sua escola em Abertillery, no País de Gales. Depois de sofrer com socos e chutes dentro da escola na terça-feira (17), Raheem tentou fugir, mas durante a fuga acabou prendendo seu dedo em uma grade na tentativa de deixar o terreno da escola.
Angry Shantal Bailey, mãe do garoto, afirmou ao jornal Wales Online que seu filho sofria ataques racistas desde o ano passado, mas não imaginava o quão grave era o sofrimento de seu garoto.
“Ele mencionou alguns incidentes de pessoas sendo ‘más com ele’ recentemente, eu não percebi a extensão do que ele estava passando até um incidente esta semana”, diz.
“Na segunda-feira, Raheem me ligou chorando enquanto eu estava no trabalho, dizendo que ele está sendo intimidado, mas que foi ele quem foi ameaçado de detenção, apesar de ser o que está sendo perseguido”. Na sequência, a mãe foi até a escola e ficou tranquila ao pensar que o assunto estava resolvido após conversar com a direção do Abertillery Learning Community.
Entretanto, ainda ao Wales Online, afirmou que os ataques voltaram a acontecer no dia seguinte. “No intervalo da manhã de terça-feira, Raheem foi atacado e espancado por um grupo de crianças enquanto estava na escola. Ele foi empurrado para o chão e depois chutado repetidamente. Ele fez uma tentativa desesperada de deixar o terreno da escola para escapar da situação, mas prendeu o dedo em uma grade. Recebi um telefonema de Raheem e depois da escola me informando sobre o incidente”.
Após o incidente, Shantal conta que foi aconselhada pela escola a não levar o filho para um pronto-socorro. Eles foram levados para uma unidade de ferimentos leves pelo ônibus escolar.
“Passamos as cinco horas seguintes esperando por uma ambulância para nos transferir para o local onde ele seria operado, em Swansea, a 80 quilômetros de sua casa e escola. “Com o passar do tempo, tornou-se mais evidente que a possibilidade de meu filho perder o dedo era real. Os médicos então confirmaram que isso era provável. Eu tive que explicar isso a ele enquanto ele estava sentado em agonia”.
Chimamanda sobre racismo no Brasil: “Não parecem reconhecer que é um problema”
O temor da mãe do garoto e dos médicos acabou se confirmando. Após passar por uma cirurgia de seis horas para tentar salvar o dedo, os médicos optaram pela amputação.
“Ele está de volta em casa e com muita dor. Eu acho que ele ainda está sofrendo de choque porque ele continua perguntando por que isso aconteceu com ele e perguntando por que as pessoas não gostam dele. “Ainda não vimos a mão dele porque está toda enfaixada, mas vai levar algum tempo para ele se acostumar. Estou extremamente chateada porque desde o dia do incidente até agora, a escola não chegou para mim para verificar o seu bem-estar”, finalizou Shantal.
Em um comunicado enviado ao Wales Online, a escola afirmou estar colaborando com a polícia local para elucidar todos os detalhes e que o bem-estar de seus alunos é sempre uma prioridade. Já a polícia local afirmou que investiga o ocorrido desde quarta-feira (18), quando recebeu o relatório da denúncia.

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.