De racismo a machismo: relembre as falas preconceituosas de Bolsonaro – Último Segundo

“Tu pesa o quê, mais de 7 arrobas, não é?”, foi a mais fala mais recente de Bolsonaro. Relembre outras em que o presidente foi machista, xenofóbico, homofóbico entre outros. →
Por iG Último Segundo | 13/05/2022
Em abril de 2017, durante uma palestra no Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro foi machista ao dizer que quando teve sua quina filha Laura, deu uma fraquejada por ser mulher. “Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens. A quinta eu dei uma fraquejada e aí veio uma mulher”.
Durante um evento militar no Rio de Janeiro, em novembro de 2018, Bolsonaro foi xenofóbico com os refugiados da Venezuela. Ele disse: “A criação de campos de refugiados, talvez, para atender aos venezuelanos que fogem da ditadura de seu país. Porque do jeito que estão fugindo da fome e da ditadura, tem gente também que nós não queremos no Brasil”.
Em abril de 2019, durante o café da manhã com jornalistas, o presidente disse: “Quem quiser vir aqui [ao Brasil] fazer sexo com uma mulher, fique à vontade. O Brasil não pode ser um país de turismo gay. Temos famílias”, fazendo apologia à exploração sexual de brasileiras.
“Daqueles governadores de paraíba, o pior é o do Maranhão [Flávio Dino, do PC do B]. Tem que ter nada com esse cara”, disse Bolsonaro em julho de 2019 em conversa com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante café da manhã com jornalistas.
Mais uma vez xenofóbico. Bolsonaro declarou, em outubro de 2019, que “o Hélio vai para a China comigo. Eu falei: ‘Tem algum problema? É só você fazer assim [puxando as pálpebras para os lados] que ninguém vai te achar na multidão”, durante uma live.
Em janeiro de 2020, se referiu de forma preconceituosa à jornalista Thaís Oyama, que é autora do livro “Tormenta” e brasileira. “Esse é o livro dessa japonesa, que eu não sei o que faz no Brasil, que faz agora contra o governo”, disse ele.
Ainda em janeiro de 2020, o presidente disse em uma live no Youtube que os índios estavam evoluindo. “Com toda a certeza, o índio mudou. Está evoluindo. Cada vez mais o índio é um ser humano igual a nós”.
Para se referir a nordestinos, o mandatário disse: “Está cheio de pau de arara aqui e não sabem que cidade fica padre Cícero?”, em fevereiro de 2022.
Durante uma palestra no Rio de Janeiro em 2017, Jair Bolsonaro comparou um homem negro a arrobas. “Fui num quilombola em Eldorado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais”, disse ele.
Durante a campanha eleitoral em agosto de 2018, Bolsonaro usou novamente a expressão racista. “No Japão tem pena de morte. Tinha um japa gordo, de uns 8 arrobas, que foi pego uns dez anos atrás botando gás sarin no metrô. Foi executado no ano passado”.
A mais recente fala racista de Bolsonaro ocorreu em 12 de maio de 2022, em frente ao Palácio da Alvorada ao se dirigir a um apoiador. “Conseguiram te levantar, pô? Tu pesa o quê, mais de 7 arrobas, não é?”, indagou o presidente do Brasil.

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.