Estar no Brasil a comemorar Saramago e a língua portuguesa é “um acto de amor” – Público

Uma exposição, em sete estações de metro em Brasília, intitulada A Bagagem do Viajante, sobre encontros de José Saramago com autores e artistas brasileiros, foi inaugurada com a presença de Pilar del Río.
A presidente da Fundação José Saramago, Pilar del Río, disse à Lusa que estar no Brasil a celebrar os 100 anos do nascimento de José Saramago no dia das celebrações do Dia Mundial da Língua Portuguesa “é um acto de amor”.
“É um acto de amor estar aqui no Brasil, Saramago vinha sempre que podia ao Brasil”, contou à Lusa à margem de um debate no auditório Camões da Embaixada de Portugal em Brasília entre Pilar Del Río, viúva do escritor e presidente da Fundação José Saramago, e Carlos Reis sobre o legado de Saramago.
“Penso que é um abraço entre duas pátrias, a pátria portuguesa e a pátria brasileira, que têm o mesmo idioma”, considerou, afirmando que existem “muitas formas de falar português e nenhuma tem uma primazia sobre outra”.
“Saramago dizia: eu quero ler Machado de Assis, ou Jorge Amado, tal como eles escreveram, com a sua sonoridade e com a sua musicalidade”, explicou.
“Há um português mas muitas formas de falar”, questionada sobre os recentes relatos de xenofobia denunciados por brasileiros que residem em Portugal. Quem pensa o contrário, disse, “usa o dogma para ir contra outras comunidades, tem um problema e devia corrigi-lo, talvez devia ir ao psiquiatra”.
“Os idiomas pertencem às sociedades e cada um se expressa da sua maneira e ninguém é dono de um idioma”, concluiu.
Na quinta-feira de manhã Pilar del Río marcou presença na inauguração de uma exposição, em sete estações de metro da capital brasileira, intitulada A Bagagem do Viajante, sobre encontros de José Saramago com autores e artistas brasileiros como Jorge Amado, seu amigo pessoal, Oscar Niemeyer, arquitecto que projectou Brasília, e o músico Chico Buarque, entre outros.
A selecção e apresentação dos textos é da responsabilidade do comissário-geral para as comemorações do centenário do nascimento de José Saramago, Carlos Reis, e as ilustrações da autoria de Pedro Amaral, Nathalie Afonso, Carlos Farinha e Mathieu Sodore.
Entre esta sexta-feira e sábado haverá ainda espaço para mais uma exposição de Saramago em São Paulo e para a inauguração de uma cátedra com o seu nome na cidade de Curitiba, estado do Paraná.
Quanto à exposição nas estações de metro em Brasília, os trabalhos originais estarão patentes na Galeria Camões da Embaixada de Portugal no Brasil até 31 de Julho.
Seja o primeiro a comentar.
Escolha um dos seguintes tópicos para criar um grupo no Fórum Público.
Ao criar um novo grupo de discussão, tornar-se-à administrador e será responsável pela moderação desse grupo. Os jornalistas do PÚBLICO poderão sempre intervir.
Saiba mais sobre o Fórum Público.
Ao activar esta opção, receberá um email sempre que forem feitas novas publicações neste grupo de discussão.
Email marketing por
@ 2022 PÚBLICO Comunicação Social SA
Para permitir notificações, siga as instruções:
Estes são os autores e tópicos que escolheu seguir. Pode activar ou desactivar as notificações.
Receba notificações quando publicamos um texto deste autor ou sobre os temas deste artigo.
Estes são os autores e tópicos que escolheu seguir. Pode activar ou desactivar as notificações.
Para permitir notificações, siga as instruções:

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.