Laís lamenta acusação de racismo no 'BBB': 'Sempre repudiei' – UOL

Colaboração para Splash, no Rio de Janeiro
11/04/2022 08h41
Mesmo fora do “BBB 22″ (TV Globo), Laís Caldas teve que lidar com algumas coisas que aconteceram quando ainda estava no confinamento. Uma delas é a acusação de racismo contra Natália, onde os internautas viram a goiana, junto com Eslovênia e Bárbara, fazendo gestos ‘suspeitos’. Mais uma vez comentando o assunto, a affair de Gustavo nega.
“Eu sempre fui de ficar fazendo palhaçadas dentro da casa, em toda situação em que eu me via em aflição ou tinha alegria. E sempre faço exatamente aquele gesto. Naquele momento, estavam falando da Nat, que a Eslô tinha votado ou ia votar nela. Quando falaram que ela estava no banheiro, eu me senti aflita e fiz o gesto que sempre faço. Mas nunca foi em referência a algum animal. Jamais eu iria comparar uma pessoa a um animal. Isso não faz parte de mim”, desabafa, em entrevista à Patricia Kogut, colunista do “O Globo”.

Ademais, Laís pontua alguns momentos de seu passado que, segundo ela, não correspondem com a acusação: “Sempre repudiei qualquer tipo de preconceito. Desde pequena sou assim. Quando eu tinha entre 4 e 6 anos, eu já me vesti de homem para dançar com uma colega de sala que era negra. Ninguém da sala queria dançar com ela. Já aconteceu também com um colega de sala que não achou parceira da dança. Eu deixei o meu par para dançar com ele. Fiz isso sem ninguém me pedir, por vontade própria. Então, quando soube que estavam me julgando como racista, eu fiquei horrorizada e muito triste porque eu não sou e repudio totalmente qualquer tipo de preconceito”, reforça.
Mesmo com essa e algumas outras polêmicas, Laís também teve um saldo positivo de sua participação no reality e comemora a amizade que desenvolveu com Sandra Batista, mãe de Gustavo, com quem viveu um romance no reality.
“Ela me recebeu muito bem, fofocamos bastante. É uma pessoa muito feliz, engraçada, carismática, amorosa; Isso me encantou”, elogia.
Na entrevista, a médica confirma o boato de que sua família tem um hospital e, no período mais crítico da pandemia da covid-19, atendia pessoas que não conseguiam custear o tratamento.
“Sempre gostei de cuidar e de salvar vidas, independentemente de receber por isso ou não. Como estava tendo uma grande demanda das pessoas com Covid, o hospital público estava lotado e os óbitos, aumentando. Eu, outros colegas médicos e o hospital quisemos colaborar. Foi um prazer poder ajudar a salvar vidas”, detalha.
A gente já conversou com os ex-BBBs arrependidos, com os que causaram polêmica e agora, em “Realities – O Brasil na TV”, documentário em três episódios produzido por Splash e MOV.doc, contamos os primórdios e os bastidores dos reality shows no Brasil.


ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Por favor, tente novamente mais tarde.

Não é possivel enviar novos comentários.
Apenas assinantes podem ler e comentar
Ainda não é assinante? .
Se você já é assinante do UOL, .
O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Chico Barney

source

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.